sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Encontro Com o Vinho e Sabores Bairrada 2016 | E Os Vinhos Premiados São.....

A 4ª Edição do  Encontro Com Vinhos e Sabores Bairrada já arrancou e espera por uma visita sua nos próximos dias. O evento foi inaugurado hoje pelas 17 horas e contou com a presença, para além do Presidente da Comissão Vitivinícola da Bairrada Pedro Soares, do Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes; do Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares Pedro Nuno Santos; do Presidente do Instituto da Vinha e do Vinho Frederico Falcão; do Presidente da ViniPortugal Jorge Monteiro  e da Presidente da Câmara Municipal de Anadia Teresa Cardoso. 

Pouco depois eram também conhecidos os resultados do Concurso de Vinhos e Espumantes Bairrada 2016, tendo os prémios sido entregues pela seguinte ordem:


CATEGORIA Espumantes com estágio até 24 meses
M&M Gold Edition ESpumante Branco (Beira Atlântico) | Caves Central da Bairrada
Argau Espumante Branco (Beira Atlântico) | Casa dos Barbas
Marquês de Marialva Espumante Bical e Arinto branco 2014 (Beira Atlântico) | Adega Cooperativa de Cantanhede

CATEGORIA Espumantes com estágio igual ou superior a 24 meses
Encontro Special Cuvée Espumante branco 2011 (Bairrada) | Quinta do Encontro
Lopo de Freitas Espumante branco 2011 (Bairrada) | Caves do Solar de São Domingos
Milheiro Selas Espumante branco 2012 (Bairrada) | António Assunção Coelho Selas
Quinta dos Abibes Sublime Espumante branco 2012 (Bairrada) | Quinta dos Abibes
Rama Blanc de Blanc Special Cuvée Espumante branco 2012 (Bairrada) | Jorge Manuel Ferreira Rama
São Domingos Velha Reserva Espumante branco 2011 (Bairrada) | Caves do Solar de São Domingos
Quinta dos Abibes Sublime Espumante branco 2010 (Bairrada) | Quinta dos Abibes


CATEGORIA Espumantes brancos de casta BAGA
Marquês de Marialva Blanc de Noir, Baga@Bairrada Espumante branco 2014 | Adega Cooperativa de Cantanhede

CATEGORIA VINHO BRANCO
Marquês de Marialva Reserva Arinto branco 2015 (Bairrada) | Adega Cooperativa de Cantanhede
Volúpia branco 2015 (Bairrada) | Caves do Solar de São Domingos


CATEGORIA VINHO TINTO
2221 Terroir Cantanhede tinto 2011 (Bairrada) | Adega Cooperativa de Cantanhede
Aliança Baga tinto 2009 (Bairrada) | Aliança Vinhos de Portugal
Porta dos Templários tinto 2014 (Bairrada) | Caves Arcos do Rei
Quinta da Lagoa Velha Premium tinto 2015 (Bairrada) | Carlos Silva Neto
Tagarela tinto 2015 (Bairrada) | Carlos Silva Neto
Vale da Brenha Reserva Baga e Bastardo tinto 2013 (Beira Atlântico) | Manuel Jesus Silva
Kompassus Reserva tinto 2013 (Bairrada) | Kompassus
São Domingos Grande Escolha tinto 2012 (Bairrada) | Caves do Solar de São Domingos
Vale da Brenha Reserva Baga e Bastardo tinto 2012 (Beira Atlântico) | Manuel Jesus Silva


CATEGORIA GRANDE OURO
Encontro Baga tinto 2011 (Bairrada) | Quinta do Encontro

Mais fotografias aqui.

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

OnWine Terroir Experience | Prova de Vinhos Icónicos

No âmbito do OnWine Terroir Experience, para além da Prova de Alvarinho, tive também a oportunidade de participar numa prova de vinhos icónicos de produtores representados pela OnWine Distribuição Nacional.
Alentejo, Dão e Douro levaram a prova cinco vinhos que não deixam ninguém indiferente e que mostraram ter ainda capacidade para envelhecer com qualidade em garrafa por mais um punhado de anos.

ICON D'AZAMOR 2004 TINTO | ALENTEJO | 14% | PVP 62,43€
SYRAH, ALICANTE BOUSCHET, TOURIGA FRANCA
KILBURN & GOMES, LDA
92 / 100
Produzido apenas em anos de excepcional qualidade o Icon de Azamor apresenta cor vermelho com acastanhados visíveis, média concentração e aspecto limpo. Aromas onde a fruta aparece mais tímida e escondida, bem ligada com notas frescas balsâmicas, alguma turfa, tostados envolvente e boa frescura. Na boca mostra boa estrutura, toque suave, já polido pelo tempo, intenso e vivaz a mostrar-se ainda com vida e com capacidade de dar prazer a quem o bebe.

QUINTA MENDES PEREIRA GARRAFEIRA 2004 TINTO | DÃO | 13%  | PVP 14,99€
TOURIGA NACIONAL, TINTA RORIZ, ALFROCHEIRO
RAQUEL CAMARGO MENDES PEREIRA
93 / 100
Cor vermelho rubi, com pequenas notas de envelhecimento e de aspecto limpo. No nariz a fruta preta mostra-se muito limpa, com notas bonitas do estágio em barrica, alguma caruma fresca, pinheiro bravo, fresco e muito definido. Na boca está cheio de vida, cheio de força, volumoso e com tanino bem presente. Alguma secura evidente, num conjunto muito equilibrado e com muito ainda para dar.

QUANTA TERRA GRANDE RESERVA 2007 TINTO | DOURO | 14,5% | PVP 23€ (0,75)
TOURIGA NACIONAL, TINTA BARROCA, TINTA RORIZ
QUANTA TERRA SOC DE VINHOS, LDA
94 / 100
O único desta prova a provir de uma garrafa magnum. Apresenta cor vermelho rubi intenso, violetas nítidos, aspecto limpo e ainda jovem. Aromas delicados, com notas florais, fruta vermelha madura, madeira ligada na perfeição, muita frescura, alguma tinta da china, sem notas de sobre-maturação. Boca cheia de vida, força, meio seco e intenso, corpulento, fruta vermelha madura, notas tostadas 3 alguma especiaria. Final de boca longo e persistente. 

CONCEITO 2007 TINTO | DOURO | 14% | PVP 29,89€
VINHAS VELHAS, TOURIGA NACIONAL, TOURIGA FRANCA, TINTA RORIZ, TINTO CÃO, TINTA BARROCA
VITIVINÍCOLA CARLA FERREIRA UNIPESSOAL, LDA
92 / 100
Cor vermelho rubi, intenso, de média concentração, aspecto limpo. Nariz com muita frescura, notas de fruta vermelha madura, alguma compota, notas de barrica bem casada e mineralidade presente. Na boca mostra continuidade com o nariz, frescura e barrica bem ligada, corpulento, cheio de estrutura, com força, a mostrar um grande ano num Douro fresco. Final de boca longo.

QUINTA DA GAIVOSA VINHA DO LORDELO 2007 TINTO | DOURO | 15,5% | PVP 63€
TOURIGA NACIONAL, TINTA RORIZ, TINTA AMARELA, SOUSÃO
DOMINGOS ALVES DE SOUSA
95 / 100
Cor rubi, vermelho intenso, de média concentração, violetas leves, aspecto límpido. No nariz mostra-se elegante, fruta vermelha e preta madura e florais bem casados, barrica completamente ligada, fumados, balsâmico, alguma esteva, mentolado fresco e nota mineral. Grande boca. Cheio, complexo e mastigável, a mostrar grande equilíbrio, personalidade, com taninos marcados e de final longo, mas com uma elegância evidente.

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

OnWine Terroir Experience | Prova de Alvarinho

No âmbito do OnWine Terroir Experience deste ano tive oportunidade em participar numa prova especial onde a casta Alvarinho foi a protagonista. Um Alvarinho da região dos Vinhos Verdes (Casal de Ventozela), um Alvarinho da região dos Vinhos Verdes produzido no Douro (Conceito) e um Alvarinho da região de Lisboa (Quinta de Sant'Ana). 
Em três regiões tão diferentes e com terroirs tão particulares, a certeza da qualidade da casta Alvarinho quando trabalhada com excelência na produção de grandes vinhos.

CASAL DE VENTOZELA ALVARINHO 2015 BRANCO | VINHOS VERDES | 13% | PVP 9,98€
ALVARINHO
CASAL DE VENTOZELA
89 / 100
Cor amarelo citrino, nuances esverdeadas e de aspecto límpido. Aromas com leve tropical, fruta de caroço e alguma pêra rocha, notas minerais e frescura. Boca com volume, uma certa cremosidade, acidez equilibrada, citrino fino num conjunto equilibrado. Final de boca persistente.

CONCEITO ALVARINHO 2015 BRANCO | VINHOS VERDES | 13% | PVP 15,90€
ALVARINHO
CONCEITO VINHOS, LDA
91 / 100
Cor amarelo citrino, esverdeados leves, aberto e de aspecto límpido. No nariz, apesar de um pouco fechado, as notas dos frutos citrinos são mais salientes, com alguma fruta branca de caroço, perfume floral e toque mineral envolvente. Na boca mostra volume médio, acidez limonada, maçã verde, citrino, menos volume do que o anterior, mais frescura. Final de boca longo.


QUINTA DE SANT'ANA ALVARINHO 2015 BRANCO | LISBOA | 12% | PVP 12,90€
ALVARINHO
QUINTA DE SANT'ANA
91 / 100
Cor amarelo palha, nuances esverdeadas leves, aspecto limpo e brilhante. Aromas intensos, onde a fruta, como a maça verde, se mistura bem com notas salinas devido à influência do Atlântico na vinha e perfil mineral marcado devido ao solo argilo-calcário. Menos expressão da fruta, mais terroir. Na boca apresenta-se seco, a puxar pelo salivar, notas salgadas, calcário, intenso, fruta citrina maçã verde. Final longo e persistente.

Bacalhau Fresco? Yes Please!

Em País onde a tradição é o bacalhau seco, a entrada a pouco e pouco no prato dos portugueses do bacalhau fresco ainda se faz com algum receio. Todavia, esta opção começa também a marcar presença assídua nas cartas de restaurantes de grandes Chefs e, talvez também por via dessa situação, a surgir de forma mais acessível no mercado para o consumidor normal (Eu).
O bacalhau fresco é mais suculento do que o tradicional bacalhau seco e demolhado, não é salgado de origem e portanto pode ser mais facilmente temperado a gosto e normalmente tem uma cor branca e um sabor mais suave.
Aventurei-me  também eu a ir para a cozinha e preparar uma tranche de bacalhau fresco. Optei pelo congelado da Iglo e acho que correu muito bem.
Para acompanhamento no copo escolhi um branco, tal como escolheria para o tradicional bacalhau seco. O Vidigueira Grande Escolha 2014 Branco fez desta junção um verdadeiro final feliz. 

Tranche de Bacalhau Fresco com Molho de Alho Francês e Gengibre

1 Tranche de Bacalhau Fresco Congelado Iglo
1 Alho Francês
1 Ovo Cozido
1 Cálice de Vinho Branco
Gengibre
Azeitonas
Azeite
Pimenta 
Sal

Tempere o bacalhau fresco com sal e pimenta e reserve por uns minutos e depois leve ao forno a 180ºc por cerca de 30 minutos. Enquanto o bacalhau cozinha no forno, prepare o molho de alho francês e gengibre. Coloque numa frigideira o alho francês cortado em finas fatias a reduzir num pouco de azeite, junte o sumo de um pedaço de gengibre e sal a gosto. Quando o alho francês começar a ficar com aspecto translúcido junte o vinho branco e deixe reduzir até ficar com consistência de molho.
Retire o Bacalhau do forno, cubra com o molho, com o ovo cozido fatiado e as azeitonas. Acompanhe com batatinha assada no forno com casca.

terça-feira, 27 de setembro de 2016

OnWine Terroir Experience em Lisboa

A OnWine Distribuição Nacional apresentou pela primeira vez aos profissionais do sector e imprensa a sua família de produtores. Com origem em diferentes regiões vinícolas de Portugal o evento foi uma verdadeira experiência de Terroirs.
O evento decorreu no Myriad Crystal Center em Lisboa e, para além da habitual rotina de provar vinhos de produtor em produtor, houve ainda lugar a duas provas especiais que muito me agradaram pelo diálogo que foi possível acompanhar entre os representantes de cada vinho e os convidados.  

Uma prova de Alvarinho onde a região dos Vinhos Verdes, Douro e Lisboa se juntaram; e uma prova de vinhos icónicos e antigos. De ambos os momentos falarei em próximas publicações.
A região dos Vinhos Verdes esteve representada  pelo Casal de Ventozela onde se destacou a apresentação do seu Alvarinho monocasta lançado este ano pela primeira vez.

O Douro, a região mais representada, revelou novos lançamentos dos vinhos Conceito, da Quinta da Gaivosa e de Quanta Terra. Oportunidade para presentear os convidados com colheitas antigas e raras, sendo que algumas já fora do mercado. 

A Quinta Mendes Pereira, o produtor do Dão com sotaque brasileiro, aproveitou este evento para dar a conhecer ao mercado o novíssimo Quinta Mendes Pereira Branco Doc. 
Da região de Lisboa, bem perto da costa marítima portuguesa, A Quinta de Sant'Ana apresentou algumas novidades neste palco. A saber, o Alvarinho 2015, o Merlot e o seu primeiro colheita tardia 100% Riesling que irá para o mercado brevemente.

Do Alentejo os vinhos Azamor mostraram vinhos com uma frescura fora do habitual quando vindo do terroir alentejano, revelando um branco pleno de frescura e revisitando o Icon d'Azamor 2004 na companhia do seu sucessor de 2010. A Herdade do Mouchão completou o Terroir alentejano, trazendo à prova os seus vinhos fortificados assim como a apresentação exclusiva do mel silvestre produzido na herdade.

Tempo ainda para dar um salto lá fora e conhecer vinhos e espumantes de terra de sua majestade e alguns vinho da região do Priorat cheios de força e carácter que não passaram despercebidos no conjunto do evento. 

Para terminar em beleza os vinhos do Porto da Krohn trouxeram alguns dos seus Portos para ser conhecidos e um Vintage 1965 para ser admirado. Uma oportunidade única.

Aos vinhos juntaram-se as marcas premium internacionais de destilados representados pela OnWine Distribuição Nacional. Apesar de apenas em exposição mostrou ser uma vertente onde a aposta na qualidade e exclusividade corresponde ao esperado.
Ver reportagem fotográfica completa aqui.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Prémios W 2016 de Aníbal Coutinho | Comer, Beber e Lazer Nomeado Para Blog de Vinho do Ano

Inserido na divulgação que, o enólogo e crítico de vinhos, Aníbal Coutinho tem vindo a desenvolver, há mais de uma década, analisando assim o que de melhor se faz nas várias áreas do sector vitivinícola nacional, propõe aos leitores da Newsletter Líquidos W – indexada ao seu Website pessoal, www.w-anibal.com – uma selecção dos melhores projectos ligados à cultura do vinho de Norte a Sul do País. Desta resultam os nomeados e consequentemente, em Janeiro do próximo ano, os vencedores das 31 categorias com a entrega de galardões referentes à 9ª edição dos Prémios W.
O Blog Comer, Beber e Lazer volta este ano a ser nomeado para a categoria de melhor Blog de Vinho do Ano e vê assim reconhecido o seu trabalho contínuo de promoção do vinho português, do bem que se come em Portugal e da beleza das terras lusas, pelo enólogo e crítico de vinhos, Aníbal Coutinho.

Parabéns aos 10 nomeados.

Mais novidades em Janeiro de 2017

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Monte da Ravasqueira Alvarinho 2015 Branco

MONTE DA RAVASQUEIRA ALVARINHO 2015 BRANCO | ALENTEJO | 13,5% | PVP  15,50€
ALVARINHO
MONTE DA RAVASQUEIRA SOC AGRÍCOLA D. DINIZ, SA
90 / 100

No alentejo também nasce vinho feito apenas a partir da casta Alvarinho. Um alvarinho limpo de barrica e que busca do solo argilo-calcário com algum granito em que vive para expressar um perfil mais mineral e fresco do que poderíamos esperar das terras quentes do Alentejo.
Visualmente de cor citrina, nunaces esverdeadas e de aspecto límpido. Aromas intensos, notas florais e leve fruta tropical num conjunto equilibrado com bastante mineralidade e frescura. Expressivo de boca, acidez crocante e vivaz a marcar a primeira posição, num perfil citrino, sumarento, alguma secura e um final longo. disponibilidade para a mesa e algum potencial de bom envelhecimento.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails