sábado, 25 de Outubro de 2014

Quinta da Romaneira TN SYRAH 2010 Tinto

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Touriga Nacional e Syrah
Região: Douro
Teor Alcoólico: 13%
Produtor: Sociedade Agrícola da Romaneira, SA
Preço: 20,50€ vap

Nota de Prova
Um duriense com a casta Syrah no blend ou mesmo como monocasta não é muito habitual, mas a Quinta da Romaneira produz ambos e, pelo menos em blend, o resultado não desilude. Provado a dois tempos e com temperaturas diferentes, mostrou, quando na temperatura mais correcta, toda a sua qualidade. Visualmente de cor bonita, vermelhão intenso, concentrado e de aspecto límpido. Surge no nariz com boa intensidade aromática, muita fruta vermelha e preta madura, amoras silvestres e ameixa preta, algum cacau, floral e tostados integrados e harmoniosos no conjunto. Na boca taninos a dizer "presente", já algo polidos e macios, muita fruta madura, fresco e elegante. Com estrutura para continuar mais uns anos na garrafa sem problemas. Final de boca longo. Gastronómico e ser um bom exemplo de um Douro apenas com 13% de álcool.

Classificação Pessoal: 89/100

Vinhos Contemporal em Apresentação no Vestigius Wine Bar

 Os vinhos Contemporal, marca do grupo Sonae e que pode ser encontrada à venda em dos os super e hipermercados Continente, apresentou recentemente as sua novidades no Vestigius Wine Bar em Lisboa.
Apesar de tidos por muitos como simplemente os vinhos da marca Continente, o facto é que, comprovando a sua crescente qualidade, foram já este ano distinguidos com 37 prémios a nivel mundial, são representativos de praticamente todas as regiões produtoras de vinho em Portugal, contam com uma vasta variedade de tipos de vinho e sempre a preços bastante apelativos.

CONTEMPORAL LOUREIRO 2013 BRANCO VERDE
Uma novidade que chega este ano pela primeira vez às prateleiras. Fez as honras da casa para as primeiras palavras e acompanhou muito bem frutos secos e passa, mas ficará também muito bem se o ligarmos a outro tipo de entradas como fumados.Aromas limpos, directos e intensos a nivel da fruta citrina e alguma tropical, traço mineral e fresco. Boca com acidez equilibrada,  perfil sumarento e citrino, meio seco e travo ligeiramente doce. Final de boca medio e fresco.
PVP 2,45€

CONTEMPORAL ALVARINHO 2013 BRANCO VERDE
Um Alvarinho que se lhe atribui potencial de guarda. Muito habitual nos vinhos produzidos a partir desta casta, mas a verificar num desta gama. Cor citrino, jovem e aspecto límpido.  Aromas tipico do alvarinho, algum ananas e notas minerais. Boca com alguma cremosidade, seco, bom final. De facto uma bela surpresa. E por este preço não há muita desculpa. Acompanhou Ostras ao natural.
PVP 2,98€

CONTEMPORAL DOURO 2013 BRANCO
Um Douro a um preço abaixo dos 2€ que segundo informção é o Rei das vendas da marca. Consegue-se perceber o porquê. A casta moscatel galego marca aqui a sua presença a determinar aromas intensos a lichia, lima, muito perfumado. Na boca continua o moscatel a marcar, algo doce, macio e para gostar desde a primeira prova. A ser bebido bem fresco e a manter fresco durante a refeição. Acompanhou o prato de Peixe.
PVP 1,98€

CONTEMPORAL RESERVA DOURO 2012 TINTO
Com o Magret de Pato o Douro Reserva. Boa surpresa num vinho abaixo dos 4€. Cor rubi jovem, bem definida. Aromas correctos, com fruta vermelha e preta madura bem ligada a traços de estágio em barrica e boa frescura. Boca com taninos redondos,pronto a beber e pronto a agradar,  macio, algo doce quando a temperatura sobe. Gastronómico.
PVP 3,99€
A gama Contemporal cresce a cada momento e assim vai continuar. Procurando atingir mais consumidores e mostrar mais qualidade.

quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

O Alentejo Invadiu Lisboa no Passado Fim-de-Semana

No passado fim-de-semana o Alentejo chegou a Lisboa e conquistou, mais uma vez, o consumidor da Capital... e não só.

Foi mais uma bonita festa do vinho do Alentejo em Lisboa, com os produtores a apostarem na apresentação de novidades e a juntarem também o Azeite português como convidado mais do que especial. Tempo para de uma forma geral ficar a conhecer melhor alguns vinhos, trocar impressões com quem produz e com quem trabalha no vinho e para o vinho. 

Provas comentadas, workshops, concerto no final e ainda uma ideia muito gira para promover a nossa rolha de cortiça. Para o ano é a repetir.

Mas nestes eventos mandam as imagens que ficam e por isso aqui ficam algumas. Para ver a galeria completa clicar aqui.

terça-feira, 21 de Outubro de 2014

Mercado de Vinhos Campo Pequeno 2014

O Mercado de Vinhos está e regresso ao Campo Pequeno. Juntam-se os pequenos e médios produtores para que se façam grandes descobertas. Uma viagem sensorial, com a qualidade que já não é surpresa e com preços atractivos para que não se vá para casa de mãos a abanar.

Entrada: 3 € (com oferta de 2 € em vales de compras). Cada vale de 1€ pode ser descontado em compras de vinho, iguais ou superiores a 8€. Máximo de um vale por compra.

Datas: 31 Out a 2 de Nov 2014 (6.ª F. a Domingo)
Horário: 11:30 às 21:30 h
Local: Arena do Campo Pequeno

Secretariado e informações:
mercadodevinhos@gmail.com
cursos.mercadodevinhos@gmail.com
https://www.facebook.com/events/436735849764403/

segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

Murganheira Malvasia Fina 1999 Branco

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Malvasia Final
Região: Beiras - Doc Távora Varosa
Teor Alcoólico: 11,5%
Produtor: Sociedade Agrícola e Comercial do Varosa, SA
Preço: 3€ vap

Nota de Prova
De regresso ao ano de 1999. Sem receio ou medo do que vou encontrar. Confio no produtor, na região e na casta para o vinho que espero encontrar. Curioso como na cor se apresenta ainda sem as tonalidades mais douradas que seriam de esperar com esta idade e o nariz está delicioso, com notas de fruta seca, biscoito de manteiga, ainda com fruta citrina, frescura e mais complexo do que esperaria desta casta. Na boca acidez vivaz, com boa secura, fruta que apetece beber e um final de boca médio longo. Portou-se muito bem com marisco cozido e por este preço é sem dúvida a considerar.

Classificação Pessoal: 87/100

domingo, 19 de Outubro de 2014

Coisas Que Me Irritam: Olhem a Temperatura do Vinho Caraças!!!

A temperatura ideal para beber o vinho é motivo para mais uma das minhas irritações com o que vou vendo à minha volta. Desta vez é caso para dizer que em certas ocasiões até comigo me irrito quando sirvo um vinho com a temperaturas completamente erradas.Uma desgraça para o coitado do vinho que merecia mais respeito.
Ao longo da história é possível e fácil encontrar em qualquer livro ou site da especialidade uma referência para o intervalo de temperaturas a que cada vinho deverá ser consumido, todavia nos últimos anos as coisas têm vindo a mudar ligeiramente. Certas percepções já não são tão exactas como o eram. E algumas práticas no servir do vinho caíram mesmo em desuso.
No entanto, o que me irrita mesmo é quando pessoas que vivem do vinho, e por isso o deviam tratar melhor, cometem as maiores atrocidades neste capitulo da temperatura. A quantos de nós já aconteceu, em espaços de restauração, pedir um tinto mais fresco ou mesmo um frapé para colocar um tinto a refrescar e ouvir num imediato: "O vinho tinto é para beber à temperatura ambiente!"? Ou após nossa insistência ouvir "Ó Antunes, o cliente da mesa 7 quer tinto fresco. Aparece-me cada maluco por aqui!". Já para não falar dos olhares que dizem todos os nomes com que estamos a ser chamados. Já começam a existir excepções, mas continua a ser muito habitual encontrar o vinho que mais "sai" num restaurante arrumado junto à máquina do café.
Largando a restauração e agarrando os eventos de prova que vão surgindo como cogumelos por todo o lado. Há quanto tempo se organizam este tipo de eventos? Quantas edições existem deste e daquele e do outro evento com centenas de vinhos em prova? e em quantos deles a maior parte dos vinhos se apresentam com temperaturas muito acima do recomendado? ... deixa ver... em TODOS!!! E se em todos acontece esta aventura porque continuamos a não corrigir essa situação de ano para ano ou de evento para evento?
Tintos quentes, brancos gelados e consumidores desinformados. Alguém é capaz de ajudar nesta contenda?


quinta-feira, 16 de Outubro de 2014

Kook Chiado Abre Portas

O primeiro restaurante do grupo angolano Kook, em Portugal, já abriu portas com um espaço que pretende mostrar vários tipos de cozinha num único local. O Sushi continua a marcar posição de destaque, uma presença obrigatória e direi mesmo uma imagem de marca que já o acompanha, mas também é possível contar com sabores da cozinha tradicional portuguesa ou a cozinha africana, mais especificamente a angolana. 
O projecto “Kook” surge quando Pedro Batista e Rui Rosário, amigos de longa data, unem as suas capacidades de gestão e paixão pela culinária e decidem apostar numa área de actividade diferente das suas áreas profissionais. Luanda foi o inicio da aventura e o sucesso fez com que a vontade de trazer este conceito para Portugal se tornasse realidade.
O Kook Chiado é um espaço acolhedor, traço limpo e minimalista, com um bar logo à entrada a convidar quem espreita a entrar e com as mesas de restaurante um pouco mais adiante. Lugar também para boas referências de vinho, não faltando espumantes e champanhes de qualidades, com copos e acompanhamento a prometer um boa experiência. 
As expectativas de Pedro Baptista e Rui Rosário são enormes até porque esta poderá não ser a última paragem por terras onde a língua portuguesa é oficial. São Paulo poderá ser o próximo destino. Quem sabe?

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails