terça-feira, 26 de maio de 2015

Duorum Vintage 2012 Vinha de Castelo Melhor e Sorbet de Morango

Este foi, sem dúvida alguma, um dos momentos que tão cedo não esquecerei do fim de semana dedicado ao 4º Festival do Vinho do Douro Superior em Vila Nova de Foz Côa. 
Após uma refeição onde a ligação vinho/comida esteve sempre num patamar bastante alto, eis que chega à mesa o vinho do Porto Duorum Vintage 2012. Com ele, também uma sobremesa de cor vermelha, bastante expressiva e carregada passou pelo nosso olhar. Terei ouvido sussurrar cubos de geleia de beterraba e até carne aos cubos.
Aproximei-me e disseram-me gelado de morango. Tirei um cubo, quase que indiferente, e regressei ao meu lugar. Passados breves minutos estava a repetir, com mais cubos, mais cubos desta delicia viciante e de fazer perder o pio. 
Continuei depois com a ligação ao Duorum Vintage 2012 e senti que poderia voltar para Lisboa satisfeito se nada mais houvesse registar. Ligação perfeita.
O vinho e a comida são feitos para isto. Causar experiências de prazer inesquecíveis. Que momento. Que Porto. E que sobremesa.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Festival do Vinho do Douro Superior 2015 Abre Portas!

O Festival do Vinho do Douro Superior abriu hoje portas em Vila Nova de Foz Côa no ExpoCôa - Pavilhão de Exposições e Feiras de Vila Nova de Foz Côa.

Inauguração com espectáculo ao vivo pela Filandorra - Teatro do Nordeste com a peça Elegia ao Vinho... Chegada de Dionísios, Deus do Vinho e do Teatro, com o Coro das Bacantes.

Público à porta, preparada para provar os mais de 250 Vinhos em exposição de cerca de 70 produtores de uma região cada vez vez confirmada como produtora de vinhos de qualidade e personalidade própria.

A entrada é gratuita, apenas tendo de comprar o copo pelo valor de 2€ no caso de querer provar os vinhos.
Apareçam!

quinta-feira, 21 de maio de 2015

BSE 2014 Com Entradinhas Variadas no Bloggers Challenge

O BSE 2014 Branco foi o primeiro vinho que apresentei no passado evento Bloggers Challenge realizado no Restaurante A Tendinha em Mem Martins. As entradinhas que iriam à mesa nesse dia ainda não entravam em competição. Eram antes uma preparação para o que haveria de vir, como que um aquecimento, e assim, fui eu que escolhi o vinho a harmonizar com as mesmas.

A Salada de Polvo, o Casco de Sapateira Recheado, o Presunto Fatiado e o Camarão Al Ajillo pareceram-me excelentes opções para este vinho. Procurei na Carta de Vinhos do Restaurante por um vinho branco, novo, que como inicio de refeição não marcasse em demasia a boca, perfil seco, citrino, que fosse à luta com a untuosidade de cada prato, que tivesse baixa graduação alcoólica e fosse fresco por si só.
A minha escolha foi quase que natural. A ligação foi recebida com aplauso e a experiência vinho/comida resultou em pleno.

Destaco ainda a relação qualidade-preço deste branco.  Sendo claro que ainda se previligia os pratos principais, como o de peixe e carne, como aqueles em o consumidor prefere gastar mais dinheiro, o BSE é sem dúvida uma excelente opção para inicio de refeição com qualidade e a bom preço.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Oliveira Ramos Premium Extra Virgem

OLIVEIRA RAMOS PREMIUM EXTRA VIRGEM | ALENTEJO | AC 0,3 | PVP  8€
COBRANÇOSA, PICUAL
J PORTUGAL RAMOS VINHOS SA

Azeite da região do Alentejo, Estremoz, que ano após ano se tem vindo a revelar uma opção de qualidade e com preço acessivel. Desde há longos anos que o azeite cá em casa é utilizado de diversas formas, desde cru, na mesa apenas para molhar o pão, numa torrada feita à lareira ou mesmo em saladas variadas; até cozinhado, quer num tradicional refogado, quer em assados no forno e outros. Este é perfeito para continuar nesta senda. Muito frutado, maduro verde, azeitonas verdes, folha de oliveira, erva e casca de banana no aroma e com travo ligeiramente amargo e picante na boca. Suave e muito equilibrado. Fica na memória gustativa.

terça-feira, 19 de maio de 2015

Herdade do Esporão Verdelho 2014 Branco

HERDADE DO ESPORÃO VERDELHO 2014 BRANCO | ALENTEJO | 13,5% | PVP  8€
VERDELHO
ESPORÃO SA
91/ 100

Que branco do caraças! É possivel iniciar desta forma? É. Já comecei e reafirmo. Que branco do caraças! Desde o primeiro momento que fiquei impressionado. Este 100% Verdelho, de cor amarelo citrino e tonalidade levemente esverdeada conquista em priemiro lugar pelo nariz. Aromaticamente muito expressivo, com intensas notas a citrinos, toranja madura e com bose dose mineral. Muita frescura, elegância e complexidade. Na boca está com uma acidez crocante, sequinho, cheio de fruta e a tornar-se viciante a cada gole. Final de boca longo, fresco e cheio de energia. Sozinho, com entradas até com alguma estrutura, como queijo e enchidos, e a acompanhar um prato de peixe, grelhado, marisco ou carnes brancas.

4º Festival do Vinho do Douro Superior em Vila Nova de Foz Côa

E Faltam apenas alguns dias para o inicio da 4.ª edição do Festival do Vinho do Douro Superior.  No próximo fim-de-semana de 22, 23 e 24 de Maio, em Vila Nova de Foz Côa, numa iniciativa organizada pela Câmara Municipal de Vila Nova de Foz Côa e com produção da Revista de Vinhos, realiza-se uma vez mais o evento que tem vindo a afirmar esta cidade como a Capital do Douro Superior e a sub-região do Douro Superior como produtora de vinhos de qualidade e com identidade e carácter muito próprios. 
 
O ExpoCôa - Pavilhão de Exposições e Feiras foi o recinto escolhido pela organização para hospedar o festival onde, ao longo dos três dias, os visitantes da feira (de entrada livre) poderão ficar a conhecer mais de 250 vinhos de cerca de 70 produtores, não só de Vila Nova de Foz Côa como dos concelhos vizinhos de Carrazeda de Ansiães, Figueira de Castelo Rodrigo, Freixo de Espada à Cinta, Mêda, São João da Pesqueira, Torre de Moncorvo e Vila Flor.

O programa conta com as tradicionais ‘Provas de Vinhos’, comentadas pelos jornalistas da Revista de Vinhos João Paulo Martins, que apresentará os ‘Grandes Brancos’ e ‘Grandes Tintos do Douro Superior’, e Luís Antunes, que escolherá os melhores vinhos do Porto. Nesta edição, o cartaz inclui ainda com uma ‘Prova de Azeites’, conduzida por Francisco Pavão, um dos profissionais mais conhecedor e conceituado no sector; uma mostra dos sabores da região, com os melhores produtos do Douro Superior; e música ao vivo, a cargo de João Pedro Pais, que actua na noite de Sábado, e do grupo Filandorra – Teatro do Nordeste, que apresenta dois espectáculos que têm o vinho como tema, como a peça As Bacantes, de Eurípedes.

Deixo abaixo o programa oficial por forma a facilmente planear a sua visita.

Sexta-feira, dia 22 de Maio :: 17h00 às 22h00
17h00 . Inauguração Oficial do Festival
           . Espectáculo ao Vivo: Filandorra - Teatro do Nordeste: Elegia ao Vinho... Chegada de Dionísios, Deus do Vinho e do Teatro, com o coro das Bacantes

18h00 . Prova Comentada: Grandes brancos do Douro Superior, por João Paulo Martins (Revista de Vinhos)
23h00 . Encerramento da Feira
23h00 . Espectáculo ao Vivo: Filandorra - Teatro do Nordeste: “As Bacantes” de Eurípedes


Sábado, dia 23 de Maio :: 15h00 às 22h00
 9h00 . Prova do Concurso de Vinhos do Douro Superior
          . Colóquio: ‘Vinho e Turismo no Douro Superior’ (programa detalhado abaixo) *
14h00 . Abertura da Feira
15h30 . Visita de Jornalistas à Feira
16h30 . Prova Comentada: Azeites do Douro Superior, por Francisco Pavão
18h30 . Prova Comentada: Grandes tintos do Douro Superior, por João Paulo Martins (Revista de Vinhos)
22h00 . Encerramento da Feira
           . Concerto ao Vivo: João Pedro Pais


Domingo, dia 24 de Maio :: 14h00 às 20h00
14h00 . Abertura da Feira
15h30 . Prova Comentada: Portos do Douro Superior, por Luís Antunes (Revista de Vinhos)
17h00 . Anúncio dos resultados do 4.º Concurso de Vinhos do Douro Superior
20h00 . Encerramento da Feira


* Colóquio Vinho e Turismo do Douro Superior
09h00 . Abertura, por Fernando Melo (jornalista da Revista de Vinhos)
09h20 . Vinho e Turismo no Douro Superior, por João Marinho Falcão (Vinitur)
09h40 . A experiência da Sogrape
10h00 . Orador convidado: António Barreto
11h00 . Coffee-break
11h30 . Apresentação de Casos
11h30 . Casas do Côro, por Paulo Romão
11h50 . A Quinta de Ervamoira na estratégia da Ramos Pinto
12h10 . Quinta Vale d’Aldeia, por José Eduardo Conceição
12h30 . Debate

[Baseado no press release]

segunda-feira, 18 de maio de 2015

O Ouriço-do-Mar e a Ericeira

A Vila da Ericeira, "Terra de Ouriços",foi este ano palco para o Iº Festival Internacional do Ouriço-do-Mar. Contam as histórias que o nome de Ericeira deriva do facto de se poder encontrar ao longo da sua costa imensos ouriços-do-mar e, ainda que recentemente, através de achados arqueológicos, se veja antes o ouriço cacheiro como aquele que verdadeiramente lhe terá dado o nome, este é sem dúvida o local ideal para o nascimento deste evento.

Oportunidade para provar algumas delicias cozinhadas com o Ouriço-do-Mar e perceber o valor de excelência que o mesmo pode ter para a região.
Assim, no Restaurante Sul, em véspera de inicio do festival, foi possível provar alguns pratos com o ouriço-do-mar pela mão do Chef António Alexandre, o Chef Executivo do Lisboa Marriott Hotel.

Inicio de refeição com o Peixe da Nossa Costa Marinado com Vinagrette de Ouriço-do-Mar. Um entrada fria onde o peixe fresco marcava posição e o vinagrette de ouriço-do-mar chamava a atenção para o cheio a mar e para o sabor a mar, intensificando a experiência.
Ligou com mestria ao Quinta de Sant'Ana 2013 Branco, um 100% Fernão Pires cujo perfil frutado e fresco serviu na perfeição para a delicadeza deste prato.

De seguida o Mergulho no Mar (Ouriço, Navalheira, Percebe, Mexilhão). Um verdadeiro mergulho no mar. Embora a intensidade de aroma e sabor do ouriço-do-mar volta-se a marcar o prato, o facto é que esta entrada quente funciona pelo seu conjunto. Uma verdadeira delicia que apenas tem o senão de ser na pequena casca do ouriço.
O Quinta de Sant'Ana Sauvigon Blanc 2013 fez desta vez a honra de se juntar ao mar e a ligação voltou a ser perfeita. Acidez crocante, estaladiça, a secar a boca e a limpar o palato de cada vez que se ia com a colher ao prato.


Seguimos para o prato que, na minha opinião, seria a estrela da noite. Se a refeição já estava a ser de um nível bastante elevado, o Ravioli de Ouriço e Algas do Mar em Consomé, acabou por "partir a loiça toda" se posso dizer desta forma. Poucas palavras. Soberbo! Verdadeiro Mar.
O vinho, também de um produtor da região, foi desta vez o Dona Fátima Jampal 2013 Branco. Uma casta pouco conhecida, um branco que conheço bem e que adoro. A sua ligação neste prato funcionou pretendido, em equilíbrio, e fazendo uma ligação salina notável.

Por fim a sobremesa. Uma variante do leite creme queimado, mas com o ouriço-do-mar como ingrediente. O Ouriço Brulée fez as delicias dos presentes primeiro no plano estético e depois no palato. Talvez o prato onde o ouriço-do-mar não estivesse tanto em evidência, mas com óptimo resultado.
O vinho escolhido para harmonização foi Manz Rosé 2013 que, sinceramente, não me encantou na ligação, embora o aprecie bastante no inicio da refeição ou, sendo com a sobremesa, com algo à base de fruta vermelha fresca. Assim, fiquei a pensar no late harvest do produtor Quinta de Sant'Ana que ainda não conheço, mas que aqui deveria ser a cereja no topo do bolo. 

Já em jeito de final de festa, o anfitrião da casa Paulo Rodrigues, permitiu que tivesse uma experiência única que foi provar ouriço-do-mar cru. Divinal. Aroma a mar e o sabor deliciosamente mar.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails