terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Vale das Areias Sauvignon Arinto 2011

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Sauvignon Blanc e Arinto

Região: Lisboa
Teor Alcoólico: 12,5%
Produtor: Sociedade Agrícola da Labrugueira, SA
Preço: 3,99€ vap

Nota de Prova
Mais um vinho do produtor Vale das Areias e tal como o anterior primeiro reparo para a forma como o impacto visual me fez reparar nele. Aspecto visual com um amarelo definido, nuances palha dourada com alguns tímidos esverdeados. Sem dúvida que chama a atenção. No nariz surge com muita fruta fresca, bons tropicais e citrinos doces, sempre acompanhados com frescura, muita frescura. Muito directo. Na boca continuamos num perfil muito directo ao consumidor, redondinho, fruta fresca em força, acidez que não deixa morrer o vinho no copo e uma sensação de frescura sempre presente. Leve e elegante. Descontraído e despreocupado. Para beber sem pensar muito. Fará boa companhia.

Classificação: 77/100

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Vale das Areias Fernão Pires 2011

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Fernão Pires 
Região: Lisboa
Teor Alcoólico: 13%
Produtor: Sociedade Agrícola da Labrugueira, SA
Preço: 3,99€ vap

Nota de Prova
No final do ano passado encontrei este branco que brilhava na garrafa e que me atraiu ao seu encontro. Cor amarela com nuances douradas, aspecto límpido, brilhante e sedutor. Nariz pouco exuberante, expressão mediana, com notas florais e de fruta madura presentes, mas num perfil muito delicado. Agradou-me mais no palato. Com boa acidez e muita fruta fresca a fazer lembrar as tardes quentes de verão. Despreocupado e para beber só ou acompanhado de gastronomia. Não desilude, embora não se encontre o Fernão Pires a que se está habituado. 

Classificação: 75/100

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Adega de Borba Eusébio 2008

Ontem foi dia especial para Eusébio. Em pleno Estádio da Luz, no Restaurante A Catedral da Cerveja, a Adega de Borba apresentou o mais recente vinho desta casa, o Eusébio 2008 DOC Alentejo. A homenagem àquele que é considerado por muitos como o melhor jogador português de sempre pedia evidentemente um vinho especial, um vinho único. A Adega de Borba respondendo ao desafio lança, deste modo, uma edição limitada de 1000 garrafas numeradas e com certificado de autenticidade do vinho ‘Eusébio’. Um DOC Alentejo 2008 elaborado a partir das castas Trincadeira, Alicante Bouschet e Cabernet Sauvignon, com uvas selecionadas em vinhas velhas de solos xistosos. A fermentação maloláctica ocorreu em barricas de primeira utilização de carvalho francês, americano e castanho, à qual se seguiu um estágio de 12 meses nas mesmas barricas.
Após a apresentação do vinho foi então provado e bebido em primeira mão no almoço que se seguiu.  Primeiro a solo e depois na companhia de Escalopes de Novilho com arroz de frutos secos gostei do comportamento deste Eusébio. Com força e com um perfil até um pouco diferente do que se espera de um alentejano.

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Trincadeira, Alicante Bouschet e Cabernet Sauvignon
Região: Alentejo 
Teor Alcoólico: 14,5%
Produtor: Adega Cooperativa de Borba, CRL
Preço: 37,50€ vap

Nota de Prova
Apresenta cor granada, concentrado e intenso, nuances violeta escuro nos bordos do copo, aspecto límpido e lágrima definida. Nariz de boa intensidade, com a fruta vermelha bem madura no topo, bem ladeado por notas vegetais, algum pimento fresco, e por especiarias, principalmente o perfil apimentado. Fica um ligeiro tostado em background muito interessante, asim como no fundo do copo, após o mesmo estar vazio.ma maneira diferente de o dizer. De causar surpresa à mesa. Palato com força, muita vida e muita pujança. Suave e macio, com fruta fresca em pleno, equilibrado, aparecendo novamente os tostados, as especiarias ligeiro toffee, tudo muito bem ligado. Final de boca longo e pleno de frescura.
Pronto a bebe, mas com longa esperança de vida se guardado. A aguardar por momentos especiais.

Classificação Pessoal: 87/100

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Amo-te 2009 Tinto

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Aragonez, Castelão e Syrah
Região: Península de Setúbal
Teor Alcoólico: 14%
Produtor: MALO TOJO Estates, Lda
Preço: 4,85€ vap

Uma palavra de agradecimento à Produtor pela atenção demonstrada para com o Blog Comer, Beber e Lazer na oferta para prova desta garrafa.

Nota de Prova
Uma maneira diferente de o dizer. De causar surpresa à mesa. Apesar da conotação, não será apenas um vinho para o dia dos namorados, para o dia da Mãe ou do Pai, para o reatar de uma relação ou para outra qualquer ocasião especial. Este é um vinho que deve ser bebido pelo que ele é.
Apresenta cor ligeiramente granada, concentrado e intenso, praticamente opaco no núcleo e de aspecto limpo e brilhante. No nariz mostra-se com boa intensidade. Fruta vermelha e preta madura, perfmado com notas florais, algum fumo, balsâmico e ligeira especiaria no final. Surge com bastante frescura na boca, muita fruta fresca, equilibrado, corpo seguro e aveludado. Final de boca longo e fresco.
Acima de tudo um vinho feito para beber com gastronomia e com companhia.

Classificação Pessoal: 80/100

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Desnível Colheita Seleccionada 2010

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Touriga Nacional, Rufete e Tinta Amarela
Região: Douro
Teor Alcoólico: 13,5%
Produtor: António Santos Pinto
Preço: - € vap

Uma palavra de agradecimento à Produtor pela atenção demonstrada para com o Blog Comer, Beber e Lazer na oferta para prova desta garrafa.

Nota de Prova
Um Douro composto pelas castas de Rufete e Tinta Amarela proveniente de vinhas velhas em socalcos e Touriga Nacional de vinhas novas em patamares, diferentes altitudes, diferente exposição solar, com vinificação em lagar e estágio em barricas de carvalho francês. Um casamento eficaz, que chama por gastronomia tradicional e que nos diz que com algum descanso em garrafa poderá ainda melhorar.
Cor rubi muito bonita, concentrado e opaco no núcleo, de aspecto límpido. Aromas intensos a fruta vermelha madura, fruta silvestre, um jovial floral, com notas leves a especiaria e tosta muito bem ligadas. Na boca gostei da força com que se apresenta e ao mesmo tempo da sua maciez  e frescura. Boa acidez, muita fruta madura, ligeiro toque mineral e um final longo.
Reforço sem dúvida alguma o perfil gastronómico deste vinho.
Classificação Pessoal: 89/100

Mercado Gourmet Campo Pequeno | 8 a 10 Março

O Campo Pequeno vai recriar o espírito dos mercados antigos portugueses onde se podia encontrar um pouco de tudo, adaptando-o à temática Gourmet, entre os dias 8 e 10 de Março.
Vamos voltar a reunir no mesmo espaço, o que de melhor se faz em Portugal nesta área. Todos os produtos presentes, são de origem exclusivamente portuguesa ou manufacturados no nosso país.
Objectivos:
- Contribuir para a divulgação, estimulo e sustentabilidade de micro actividades produtivas nacionais, de elevadíssima qualidade, que pela sua reduzida dimensão dificilmente chegam ao conhecimento do grande público. Muitas destas actividades são construídas com admirável persistência, paixão e engenho, nas mais variadas vertentes, constituindo notáveis exemplos de inovação e criatividade nacionais.
- Sensibilizar o público para a aquisição de produtos portugueses, estimulando actividades da nossa micro economia, a preços justos e vantajosos.
Um Mercado Gourmet e Português

Azeite – Patês – Queijos – Charcutaria – Vinhos e Licores – Chocolate – Compotas – Mel
Ervas aromáticas – Biológico – Conservas – Condimentos – Pão – Doçaria – Infusões

Data: 8, 9 e 10 de Março (6.ª-feira a Domingo)
Horário: 11h00 às 21h00
Local: Arena do Campo Pequeno (espaço coberto)

ENTRADA GRATUITA!!

Mais Informações: mercadogourmetcp@gmail.com ou no facebook

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Quinta dos Termos 2010 Reserva

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Síria e Fonte Cal
Região: Beira
Teor Alcoólico: 13,5%
Produtor: Quinta dos Termos, Lda
Preço: 12€ vap

Nota de Prova
Cor amarela palha, laivos levemente dourados, de aspecto límpido e brilhante. Aroma intenso e exuberante com muita fruta citrina, boas notas florais, perfil com toque mineral. Boa complexidade de nariz a criar alguma expectativa para a fase seguinte da prova. Boca robusta, ligeira untuosidade, com continuidade de muita fruta fresca, bons citrinos como a lima e a toranja,persistente, com boa acidez, vivo. Ligeiro vegetal final que lhe retira algum impacto. Não deixou de ser um surpresa pela positiva.

Classificação: 80/100

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

10 Vinhos Para o Dia dos Namorados

Escolher um vinho para este dia nem sempre pode ser uma tarefa fácil. Neste dia não queremos o melhor vinho do mundo, não esperamos escolher o pior vinho do mundo, todavia procuramos um vinho especial, que diga qualquer coisa à nossa cara metade, que tenha um significado para o dia e que, ao mesmo tempo, nos satisfaça como vinho.
Assim, e querendo ajudar um pouco nesta escolha, fiz uma pequena lista de vinhos muito apropriados à data e quem sabe a outros dias pois o dia dos namorados é como o Natal: é quando se quiser que seja. No calendário é já amanhã. Não se atrase e faça as suas compras e neste dia diga o que sente com uma garrafa de vinho.

Amo-te 2009 Tinto
Produtor: Malo Tojo
Região: Península de Setubal
Castas: Aragonês, Castelão e Syrah
Preço: 4,85€
Onde Comprar:  El Corte Ingles







Sexy 2011 Tinto
Produtor: Fita Preta Vinhos
Região: Alentejo
Castas: Touriga Nacional, Aragonês, Cabernet Sauvignon e Syrah
Preço: 7,85€
Onde Comprar:  El Corte Ingles, Lojas Continente







Sexy 2011 Branco
Produtor: Fita Preta Vinhos
Região: Alentejo
Castas: Viognier, Roupeiro e Antão Vaz
Preço: 7,85€
Onde Comprar:  El Corte Ingles, Lojas Continente




 

Sexy 2011 Rosé
Produtor: Fita Preta Vinhos
Região: Alentejo
Castas: Touriga Nacional, Aragonês e Syrah
Preço: 6,85€
Onde Comprar:  El Corte Ingles, Lojas Continente






Pinga Amores Colheita 2010 Tinto
Produtor: Senhora da Penha
Região: Alentejo
Castas: Syrah, Alicante Bouschet, Aragonês, Touriga Nacional e Trincadeira
Preço: 11,90€
Onde Comprar:  Garrafeira Living Wine








Amo.te
Produtor: Paulo Laureano Vinus
Região: Alentejo
Castas: Trincadeira, Aragonês eAlfrocheiro
Preço: 7,99€
Onde Comprar:  Lojas Continente









Fita Azul Passion
Produtor:Vinhos Borges
Castas: Tinta Roriz e Touriga Nacional
Preço: 5,99€
Onde Comprar:  El Corte Ingles, Lojas Continente e Lojas Jumbo









Sexy Sparkling Brut
Produtor: Fita Preta Vinhos
Região: Alentejo
Castas: Touriga Nacional e Castelão
Preço: -€
Onde Comprar:  El Corte Ingles










Solar de Lobos Touriga Nacional
Produtor:Solar dos Lobos
Região:Alentejo
Castas: Touriga Nacional
Preço: 8,90€
Onde Comprar: Garrafeira Tio Pepe, Restauração














Boas escolhas!

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Moscatel Dócil 2010 Branco

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Moscatel Galego Branco
Região: Douro
Teor Alcoólico: 8%
Produtor: Projectos Niepoort
Preço: 11,19€ vap

Uma palavra de agradecimento à Niepoort Vinhos pela atenção demonstrada para com o Blog Comer, Beber e Lazer na oferta para prova desta garrafa.

Nota de Prova
Este é apenas o resultado do primeiro ensaio com esta casta pela Niepoort Projectos, mas desde o primeiro contacto que fiquei desde logo impressionado. De uma leveza e frescura grandiosa consegue transmitir-nos uma espécie de reconforto e mimo imediato. Precisamos de vinhos como este, que nos arrebatam, que nos surpreendem, que nos deixam a sonhar por breves momentos. 
Cor amarelo pálido, quase transparente, translúcido, limpido e brilhante. Aromas perfumados de forma leve e delicada, com notas florais, alguma fruta madura, muito fresco. Na boca toca-nos com um inicial doce suave, macio, delicado e reconfortante, acidez equilibrada e muita frescura. Tem um final fresco e leve. Apetece continuar a beber. E só há 2156 garrafas....
 Classificação Pessoal: 92/100

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Tertúlia "À Volta de... Um Produtor de Vinho"

No passado dia 1 de Fevereiro, no Restaurante Isaura em Lisboa, teve lugar o evento Tertúlia "À Volta de... Um Produtor de Vinho", organizado pelo Amigo Fausto Marsol, consultor em Desenvolvimento Organizacional e Pessoal e escritor de obras como Ai, Adeus! e Maquiavel Para Gestores Contemporâneos. O objectivo era claro. Juntar as pessoas em redor do Vinho e da Gastronomia, falar acerca dos mesmos de forma despreocupada e enriquecer o nosso conhecimento com esta experiência. 
Raul Lufinha, do Blog A Mesa do Chef esteve presente para falar de Gastronomia e eu estive presente como enófilo para falar acerca da minha experiência com o vinho e fazer breves comentário acerca dos vinhos dessa noite. Foi com prazer que o fiz mais uma vez. O vinho também se quer falado.
O produtor escolhido foi a Mateus & Sequeira Vinhos, SA. Produtor dos Vinhos Cadão que nascem em S. João da Pesqueira, exactamente no coração da Região Demarcada do Douro. As suas vinhas compreendem cerca de 200 hectares de vinha ao longo de toda a Região Demarcada do Douro, distribuidos pelas seguintes propriedades: Quinta do Cadão e Quinta do Vilarinho (S. João da Pesqueira), Quinta da Lapa e Quinta dos Lobatos (Nagoselo do Douro), Quinta da Pitarrela (Peso da Régua), Quinta da Vilela (Valongo dos Azeites), Quinta de Santa Comba (Santa Marta Penaguião), Quinta do Casal de Várzeas (Várzea de Trevões).
Cerca de 50 convivas puderam em ambiente descontraído provar e beber os Cadão Branco e Tinto Colheita, os Cadão Branco e Tinto Reserva e o Moscatel Cadão que acompanhou o prato de sobremesa, mas sobretudo falar acerca do Vinho e da Gastronomia. Objectivo alcançado. Parabéns pela iniciativa.

* Todas as fotografias propriedade de Marta Felino | Flash Food

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Papa Figos 2011

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Touriga Nacional, Tinta Roriz, Touriga Franca e Tinta Barroca
Região: Douro
Teor Alcoólico: 14%
Produtor: Casa Ferreirinha - Sogrape Vinhos 
Preço: 6€ vap

Nota de Prova
Na linha do ano anterior, de 2010, este é mais uma marca que aposta num perfil, aposta em fidelizar o consumidor de colheita para colheita. Numa gama um pouco acima da entrada de gama, imagem apelativa e segura.
Apresenta cor rubi, violetas definidos, jovens, aspecto límpido e atractivo. Aromas de boa intensidade a fruta vermelha bem madura, com bom casamento de notas florais e a madeira muito fina e bem ligada com o conjunto. Na boca continua muito no perfil do anterior. Fácil de gostar, correcto e pronto a beber. Talvez seja assim que o consumidor mais gosta. A fruta madura reaparece com boa frescura sempre bem acompanhado por travo leve especiado e alguma sensação adocicada. O final de boca é de média extensão e guloso.

Classificação: 80/100

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Pinhal da Torre | Bloggers Day | Syrah à Prova

No passado dia 3 de Novembro de 2012 tivemos mais uma vez o prazer de visitar, a convite do produtor, a Pinhal da Torre em Alpiarça. Com o Paulo Saturnino Cunha como nosso anfitrião pudemos voltar a visitar uma adega bastante mais preenchida do que a última vez, perceber os progressos efectuados passado um ano e juntar-mo-nos à mesa para num ambiente perfeitamente informal aceitarmos o desafio preparado para este dia: uma prova de vinhos da casta Syrah.
Numa espécie de "mini-batalhas" foram sendo colocados Syrah lado a lado. Qual seria o que nos agradaria mais em cada "embate"? Qual seria o Syrah que no final do dia nos deixaria de boca aberta... ou bem fechada?
O primeiro par foi o seguinte:

Quinta do Alqueve Syrah 2001
Cor rubi concentrado, escuro, opaco, de aspecto límpido. Surpreendente a cor para um 2001. Aroma com boa intensidade, fruta madura, cacau bem proporcionado,  especiado, algum carvão e madeira bem ligada, subtil. Na boca impressionou-me pela frescura e pelo perfil elegante com que se apresenta. Tudo no sitio certo onze anos depois. Soberbo. Um final longo, pleno de frescura e de elegância.

Côte Rôtie 2001
Cor de um rubi de concentração média com sinais evidentes de evolução. Aromas já algo cansados, algo batidos pelo tempo. Notas de fruta madura, cacau e alguma especiaria, mas já em queda. Na boca apesar de o sentir um pouco melhor do que no nariz, falta-lhe já a frescura que outrora deverá ter tido. Apesar de tudo esperava mais de Francês.

O Veredicto: Quinta do Alqueve Syrah 2001 (sem dúvida)

E de seguida:

Quinta de S. João Syrah 2007
Cor rubi bastante concentrado, intenso e de aspecto límpido. No nariz, fechado de inicio, algo escondido, foi abrindo com o tempo, não muito, revelando fruta vermelha madura, notas delicadas a cacau, com boa especiaria e madeira em fundo. Na boca surge com suavidade, mantendo um perfil fresco e elegante. Mais recatado no momento da prova, mas sem dúvida a prometer muito. Final de boca longo.

Quinta de S. João Syrah 2008
Cor rubi de média concentração e de aspecto límpido. Uma cor bonita, cativante, não tão concentrada como os anteriores. Aromas a fruta madura, muito directo, e dentro do mesmo perfil do anterior. Começo a ter impressão que não vai ser fácil. Na boca surge macio, corpulento, alguma untuosidade, mais fruta madura, a mesma elegância. Final longo.

Torbreck Les Amis 2006
Cor rubi de intensidade média, cor cativante e aspecto límpido. Aromaticamente muito elegante, de uma finess elevada, fruta preta madura, algumas notas fumadas e algumas mais terrosas. Na boca surge gordo, corpulento, a encher a boca, com muita fruta, acidez fina e longo comprimento final. Principal nota de destaque para a delicadeza deste vinho.

O Veredicto: Quinta de S. João Syrah 2007 (aqui a escolha não foi tão directa. Entre os Quinta de S. João, o 2007 pareceu-me o que mais garantias me dava a longo prazo; por outro lado, o Torbreck encantou-se com a sua leveza e finura)

Passámos para a etapa seguinte com:

Quinta de S. João Syrah 2009
Cor rubi, média concentração, aspecto limpo. Aromas intensos a fruta vermelha e preta bem madura, ligeiro compotado, guloso, com notas bem medidas de cacau, alguma baunilha e especiaria, e uma madeira que se sente, mas que não se liga. Harmonia. Boca pujante de vida, impetuoso, grande fruta, frescura e acidez. Será de contar com este para muitos anos. Não o considero o melhor deste dia, mas será sem dúvida aquele que me parece terá o maior potencial.

Domaine Jamet Côte-Rôtie 2009
Cor rubi, com nuances violeta escuros, concentrado. Aromas intensos a fruta vermelha madura, fruta silvestre e de árvore preta, alguma redução, presença de fumados e novamente o perfil terroso. Na boca surpreende com frescura, boa fruta, acidez equilibrada, com final de boca com notas vegetais subtis. Final longo.

O Veredicto: Quinta de S. João Syrah 2009 (influenciado pelo que espero dele no futuro e tendo em conta um perfil mais "doce" do Jamet)

Seguimos então a prova com mais três vinhos que continuaram a surpreender pela positiva. Não será demais relembrar que este é um produtor de uma região menos amada pelo consumidor, mas que a cada dia que passa mais convicto fico de que será um dos Grandes Produtores de vinho em Portugal

2 Worlds 2009 Reserva
Cor rubi, concentrado, nuances violetas no bordo do copo e aspecto límpido. Nariz exuberante, muita fruta vermelha madura, notas vegetais bem ligadas e toque especiado a compor.  Boca macia, redondinho, com continuidade da fruta vermelha madura, equilibrado e de final longo e elegante.

2 Worlds 2009 Premium
Cor rubi escura, concentrado, opaco, direi mesmo retinta. Aspecto límpido e sólido. Aromas intensos a fruta vermelha e preta madura, notas de redução bem ligadas com a madeira. Na boca está um portento, mastigável, gordo, com uma fruta deliciosa, apetece começar a trincar. Algo cru, mas que já encanta e com mais uns anos de garrafa será sem dúvida a não perder.

Alqueve 2009
O SE surge em pézinhos de lã, mas, no final acaba por conquistar os presentes. Cor rubi, directa e de aspecto límpido. Aromas perfumados, fruta silvestre madura, toque a compota, licor e redução, tudo a puxar pela nossa curiosidade, complexo e cativante. Na boca mostra equilibrio, estrutura, fruta bem doseada, de grande delicadeza e elegência. Um final persistente, fresco e elegante.

Todos este vinhos acompanharam depois à mesa uma sopa de pedra "fabulástica" e provaram serem também excelentes escolhas para fazer companhia a este prato tão tradicional. A ligação do bom vinho, boa  gastronomia e boa companhia fazem momentos como o deste dia.

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Periquita Reserva 2010

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Castelão, Touriga Nacional e Touriga Francesa
Região: Península de Setúbal
Teor Alcoólico: 13%
Produtor: José Maria da Fonseca Vinhos, SA
Preço: 8€ vap

Agradecimento
Uma palavra de agradecimento à José Maria da Fonseca pela atenção demonstrada para com o Blog Comer, Beber e Lazer na oferta para prova desta garrafa.

Nota de Prova
A nova imagem da José Maria da Fonseca aparece já neste reserva. Dá-lhe outra face. Imagem sóbria, elegante e selecta. Sem dúvida uma boa aposta.
Ao longo dos últimos anos, o Periquita Reserva habituou-nos a um perfil que não deixa nenhum consumidor indiferente. Continua assim com um perfil muito gastronómico, descomplicado, prazeiroso e fácil de se gostar.
Cor rubi, intenso e de aspecto límpido. No nariz a exuberância da fruta vermelha e preta bem madura, fruta silvestre, notas de redução e com a madeira em fundo bem ligada sem se sobrepor à fruta. Boa tosta e aespeciaria fina muito interessante. Boca vivaz, jovem e mas pronto a beber. Muita fruta e a continuar a chamar pela comida. Equilibrado, guloso e com um final de boca médio, longo.
Fazê-lo esperar mais um tempo na garrafa não lhe fará mal algum.

Classificação: 83/100

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Damasceno 2011 Tinto

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Syrah e Cabernet Sauvignon
Região: Península de Setúbal
Teor Alcoólico: 14%
Produtor: Vinhos Damasceno
Preço: 8,5€ vap

Agradecimento
Uma palavra de agradecimento à Vinhos Damasceno pela atenção demonstrada para com o Blog Comer, Beber e Lazer na oferta para prova desta garrafa.

Nota de Prova
A primeira nota de destaque vai para o novo rótulo. Simples, directo e mais apelativo e eficaz que o anterior. Parece ter feito crescer a garrafa e dá sem dúvida uma imagem mais consentânea com a sua qualidade. O vinho ganha com estes pequenos - grandes pormenores.
Apresenta cor rubi concentrado, escuro e intenso, núcleo mais fechado e com violetas marcados nos bordos do copo. Nariz exuberante. Parece que apenas esperava cair no copo para logo espalhar aromas intensos a fruta vermelha e preta bem madura, algumas notas de redução, cacau e baunilha. Surge na boca com bom corpo e a chamar desde logo um prato de comida. Muito frutado, com boa acidez e vivacidade, jovem e irrequieto, Guloso e prazeiroso. Comprimento final de boca longo. Aconselho a servi-lo nos 16/17º graus temperatura.

Classificação: 87/100

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails