sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Herdade das Servas Vinhas Velhas 2009 Tinto

HERDADE DAS SERVAS VINHAS VELHAS 2009 TINTO | ALENTEJO | 15% | PVP  27€
ALICANTE BOUSCHET, TOURIGA NACIONAL, ARAGONEZ
HERDADE DAS SERVAS - SERRANO MIRA S.A.
92 /100

Sem dúvida um dos grandes vinhos do Alentejo. Um Vinhas Velhas muito na linha dos vinhos de topo produzidos nesta casa. Excelente na harmonização com os pratos típicos da região alentejana, queijos intensos, fumados e enchidos. Brilha à mesa. 
De cor intensa, concentrada, violetas bem definidos e bonito. No nariz a fruta preta madura e a compota integram de forma equilibrada notas tostadas leves, algum floral e especiarias. Boca com muita força, sem ser bruto sente-se a sua estrutura, taninos presentes, macio e aveludado na boca, fresco e a fazer esquecer os 15% de álcool lidos no contra-rótulo. Final de boca persistente. A beber ou como opção para guarda.

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Lancers Espumante Branco

Características
Tipo: Vinho Espumante Branco
Castas: Arinto e Malvasia Fina
Região: Península de Setúbal
Teor Alcoólico: 11%
Produtor: José Maria da Fonseca Vinhos, SA
Preço: 4,99€ vap

Nota de Prova
Enquanto com o Lancers Espumante Bruto Rosé temos uma novidade com o Lancers Espumante Branco temos já uma tradição que vem desde 1984. Um espumante que aparece leve, fresco e com uma óptima secura de boca. Tanto de aromas como na boca apresenta um perfil muito frutado, com os tropicais a dominarem no nariz e na boca o citrino da lima e a boa acidez a marcarem bem a posição. Bolha de pequeno/médio tamanho, cremoso e persistente no final de boca. Queiram juntar-lhe apenas sol e um frapé ou entradas como queijo de Azeitão, presunto e outros fumados e será perfeito.

Classificação: 80/100

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Quinta da Gaivosa 2003 Tinto

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Tinta Roriz, Touriga Franca, Tinto Cão, Touriga Nacional
Região: Douro
Teor Alcoólico: 14,5%
Produtor: Domingos Alves de Sousa - Quinta da Gaivosa
Preço: 35€ vap

Nota de Prova
Encaro o Quinta da Gaivosa como um dos clássicos do Douro, como um daqueles que qualquer enófilo tem de ter o prazer de beber pelo menos uma vez na vida. Este 2003 é mais uma colheita resultante de uma criteriosa selecção que faz com que nem todos os anos o tenhamos disponível. Apenas em anos excepcionais é lançado. Dito isto, é natural esclarecer que com expectativa que o provei e o bebi e voltei a beber. Não desiludiu. Um vinho grandioso, com uma capacidade de envelhecimento notável e a brilhar quando lhe juntamos a comida. Apresenta cor de tonalidade granada intenso e concentrado. O tempo parece não ter passado por aqui. No nariz destaco a complexidade do bouquet e ao mesmo tempo a sua frescura jovial. A fruta preta madura bem ladeada de tostados fumados finos e elegantes, notas especiadas e um traço vegetal fresquinho e cheio de vida. Surge na boca corpolento, volumoso, mastigável e cheio de garra. Está cá tudo o que queremos encontrar. Carnudo, com notas especiadas e vegetais em equilíbrio com a fruta e dono de um final de boca de perder de vista. Grande vinho.

Classificação Pessoal: 92/100

sábado, 25 de outubro de 2014

Quinta da Romaneira TN SYRAH 2010 Tinto

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Touriga Nacional e Syrah
Região: Douro
Teor Alcoólico: 13%
Produtor: Sociedade Agrícola da Romaneira, SA
Preço: 20,50€ vap

Nota de Prova
Um duriense com a casta Syrah no blend ou mesmo como monocasta não é muito habitual, mas a Quinta da Romaneira produz ambos e, pelo menos em blend, o resultado não desilude. Provado a dois tempos e com temperaturas diferentes, mostrou, quando na temperatura mais correcta, toda a sua qualidade. Visualmente de cor bonita, vermelhão intenso, concentrado e de aspecto límpido. Surge no nariz com boa intensidade aromática, muita fruta vermelha e preta madura, amoras silvestres e ameixa preta, algum cacau, floral e tostados integrados e harmoniosos no conjunto. Na boca taninos a dizer "presente", já algo polidos e macios, muita fruta madura, fresco e elegante. Com estrutura para continuar mais uns anos na garrafa sem problemas. Final de boca longo. Gastronómico e ser um bom exemplo de um Douro apenas com 13% de álcool.

Classificação Pessoal: 89/100

Vinhos Contemporal em Apresentação no Vestigius Wine Bar

 Os vinhos Contemporal, marca do grupo Sonae e que pode ser encontrada à venda em dos os super e hipermercados Continente, apresentou recentemente as sua novidades no Vestigius Wine Bar em Lisboa.
Apesar de tidos por muitos como simplemente os vinhos da marca Continente, o facto é que, comprovando a sua crescente qualidade, foram já este ano distinguidos com 37 prémios a nivel mundial, são representativos de praticamente todas as regiões produtoras de vinho em Portugal, contam com uma vasta variedade de tipos de vinho e sempre a preços bastante apelativos.

CONTEMPORAL LOUREIRO 2013 BRANCO VERDE
Uma novidade que chega este ano pela primeira vez às prateleiras. Fez as honras da casa para as primeiras palavras e acompanhou muito bem frutos secos e passa, mas ficará também muito bem se o ligarmos a outro tipo de entradas como fumados.Aromas limpos, directos e intensos a nivel da fruta citrina e alguma tropical, traço mineral e fresco. Boca com acidez equilibrada,  perfil sumarento e citrino, meio seco e travo ligeiramente doce. Final de boca medio e fresco.
PVP 2,45€

CONTEMPORAL ALVARINHO 2013 BRANCO VERDE
Um Alvarinho que se lhe atribui potencial de guarda. Muito habitual nos vinhos produzidos a partir desta casta, mas a verificar num desta gama. Cor citrino, jovem e aspecto límpido.  Aromas tipico do alvarinho, algum ananas e notas minerais. Boca com alguma cremosidade, seco, bom final. De facto uma bela surpresa. E por este preço não há muita desculpa. Acompanhou Ostras ao natural.
PVP 2,98€

CONTEMPORAL DOURO 2013 BRANCO
Um Douro a um preço abaixo dos 2€ que segundo informção é o Rei das vendas da marca. Consegue-se perceber o porquê. A casta moscatel galego marca aqui a sua presença a determinar aromas intensos a lichia, lima, muito perfumado. Na boca continua o moscatel a marcar, algo doce, macio e para gostar desde a primeira prova. A ser bebido bem fresco e a manter fresco durante a refeição. Acompanhou o prato de Peixe.
PVP 1,98€

CONTEMPORAL RESERVA DOURO 2012 TINTO
Com o Magret de Pato o Douro Reserva. Boa surpresa num vinho abaixo dos 4€. Cor rubi jovem, bem definida. Aromas correctos, com fruta vermelha e preta madura bem ligada a traços de estágio em barrica e boa frescura. Boca com taninos redondos,pronto a beber e pronto a agradar,  macio, algo doce quando a temperatura sobe. Gastronómico.
PVP 3,99€
A gama Contemporal cresce a cada momento e assim vai continuar. Procurando atingir mais consumidores e mostrar mais qualidade.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

O Alentejo Invadiu Lisboa no Passado Fim-de-Semana

No passado fim-de-semana o Alentejo chegou a Lisboa e conquistou, mais uma vez, o consumidor da Capital... e não só.

Foi mais uma bonita festa do vinho do Alentejo em Lisboa, com os produtores a apostarem na apresentação de novidades e a juntarem também o Azeite português como convidado mais do que especial. Tempo para de uma forma geral ficar a conhecer melhor alguns vinhos, trocar impressões com quem produz e com quem trabalha no vinho e para o vinho. 

Provas comentadas, workshops, concerto no final e ainda uma ideia muito gira para promover a nossa rolha de cortiça. Para o ano é a repetir.

Mas nestes eventos mandam as imagens que ficam e por isso aqui ficam algumas. Para ver a galeria completa clicar aqui.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Mercado de Vinhos Campo Pequeno 2014

O Mercado de Vinhos está e regresso ao Campo Pequeno. Juntam-se os pequenos e médios produtores para que se façam grandes descobertas. Uma viagem sensorial, com a qualidade que já não é surpresa e com preços atractivos para que não se vá para casa de mãos a abanar.

Entrada: 3 € (com oferta de 2 € em vales de compras). Cada vale de 1€ pode ser descontado em compras de vinho, iguais ou superiores a 8€. Máximo de um vale por compra.

Datas: 31 Out a 2 de Nov 2014 (6.ª F. a Domingo)
Horário: 11:30 às 21:30 h
Local: Arena do Campo Pequeno

Secretariado e informações:
mercadodevinhos@gmail.com
cursos.mercadodevinhos@gmail.com
https://www.facebook.com/events/436735849764403/

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Murganheira Malvasia Fina 1999 Branco

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Malvasia Final
Região: Beiras - Doc Távora Varosa
Teor Alcoólico: 11,5%
Produtor: Sociedade Agrícola e Comercial do Varosa, SA
Preço: 3€ vap

Nota de Prova
De regresso ao ano de 1999. Sem receio ou medo do que vou encontrar. Confio no produtor, na região e na casta para o vinho que espero encontrar. Curioso como na cor se apresenta ainda sem as tonalidades mais douradas que seriam de esperar com esta idade e o nariz está delicioso, com notas de fruta seca, biscoito de manteiga, ainda com fruta citrina, frescura e mais complexo do que esperaria desta casta. Na boca acidez vivaz, com boa secura, fruta que apetece beber e um final de boca médio longo. Portou-se muito bem com marisco cozido e por este preço é sem dúvida a considerar.

Classificação Pessoal: 87/100

domingo, 19 de outubro de 2014

Coisas Que Me Irritam: Olhem a Temperatura do Vinho Caraças!!!

A temperatura ideal para beber o vinho é motivo para mais uma das minhas irritações com o que vou vendo à minha volta. Desta vez é caso para dizer que em certas ocasiões até comigo me irrito quando sirvo um vinho com a temperaturas completamente erradas.Uma desgraça para o coitado do vinho que merecia mais respeito.
Ao longo da história é possível e fácil encontrar em qualquer livro ou site da especialidade uma referência para o intervalo de temperaturas a que cada vinho deverá ser consumido, todavia nos últimos anos as coisas têm vindo a mudar ligeiramente. Certas percepções já não são tão exactas como o eram. E algumas práticas no servir do vinho caíram mesmo em desuso.
No entanto, o que me irrita mesmo é quando pessoas que vivem do vinho, e por isso o deviam tratar melhor, cometem as maiores atrocidades neste capitulo da temperatura. A quantos de nós já aconteceu, em espaços de restauração, pedir um tinto mais fresco ou mesmo um frapé para colocar um tinto a refrescar e ouvir num imediato: "O vinho tinto é para beber à temperatura ambiente!"? Ou após nossa insistência ouvir "Ó Antunes, o cliente da mesa 7 quer tinto fresco. Aparece-me cada maluco por aqui!". Já para não falar dos olhares que dizem todos os nomes com que estamos a ser chamados. Já começam a existir excepções, mas continua a ser muito habitual encontrar o vinho que mais "sai" num restaurante arrumado junto à máquina do café.
Largando a restauração e agarrando os eventos de prova que vão surgindo como cogumelos por todo o lado. Há quanto tempo se organizam este tipo de eventos? Quantas edições existem deste e daquele e do outro evento com centenas de vinhos em prova? e em quantos deles a maior parte dos vinhos se apresentam com temperaturas muito acima do recomendado? ... deixa ver... em TODOS!!! E se em todos acontece esta aventura porque continuamos a não corrigir essa situação de ano para ano ou de evento para evento?
Tintos quentes, brancos gelados e consumidores desinformados. Alguém é capaz de ajudar nesta contenda?


quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Kook Chiado Abre Portas

O primeiro restaurante do grupo angolano Kook, em Portugal, já abriu portas com um espaço que pretende mostrar vários tipos de cozinha num único local. O Sushi continua a marcar posição de destaque, uma presença obrigatória e direi mesmo uma imagem de marca que já o acompanha, mas também é possível contar com sabores da cozinha tradicional portuguesa ou a cozinha africana, mais especificamente a angolana. 
O projecto “Kook” surge quando Pedro Batista e Rui Rosário, amigos de longa data, unem as suas capacidades de gestão e paixão pela culinária e decidem apostar numa área de actividade diferente das suas áreas profissionais. Luanda foi o inicio da aventura e o sucesso fez com que a vontade de trazer este conceito para Portugal se tornasse realidade.
O Kook Chiado é um espaço acolhedor, traço limpo e minimalista, com um bar logo à entrada a convidar quem espreita a entrar e com as mesas de restaurante um pouco mais adiante. Lugar também para boas referências de vinho, não faltando espumantes e champanhes de qualidades, com copos e acompanhamento a prometer um boa experiência. 
As expectativas de Pedro Baptista e Rui Rosário são enormes até porque esta poderá não ser a última paragem por terras onde a língua portuguesa é oficial. São Paulo poderá ser o próximo destino. Quem sabe?

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Herdade do Esporão Touriga Nacional 1999 Tinto

Características
Tipo: Vinho Tinto
Castas: Touriga Nacional
Região: Alentejo
Teor Alcoólico: 13,5%
Produtor: Finagra, SA
Preço: 10€ vap

Nota de Prova
O que dizer quando encontramos vinhos com esta idade e com pelos quais ficamos apaixonados pela sua excelência de forma, pela sua estrutura, jovialidade e prazer. O que dizer quando nos conquistam os sentidos. Sem dúvida um vinho que não poderia ficar sem conhecer. Cor ainda com boa concentração, opaca no núcleo e com nuances de castanho e tijolo no bordo. A querer esconder aqui um pouco a sua idade. No nariz a frescura da fruta silvestre madura e as notas florais das violetas cativam num casamento perfeito com notas especiadas, tosta e ligeira baunilha. Complexo e apaixonante. Boca cheia de vida, vivaço, com taninos seguros e cheio de estrutura. Estes 15 anos não lhe causaram mossa. Está um vinhão. Com um final de boca fresco, longo e de uma elegância extraordinária.

Classificação Pessoal: 90/100

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Quinta do Pôpa | O Douro desceu a Lisboa no EPIC SANA Lisboa Hotel Restaurante Flor-de-Lis

A Quinta do Pôpa veio a Lisboa apresentar as suas novidades. Stéphane Ferreira, com a sua irreverência, jovialidade e informalidade que o caracterizam, rapidamente colocou todos os convidados à vontade fazendo com que o espaço do do Restaurante Flor-de-Lis do EPIC SANA Lisboa Hotel, onde se realizou a prova, fosse quase uma extensão da sua sala de provas em pleno Douro.

PÔPA 2013 BRANCO | DOURO | 13% | PVP 10€
VIOSINHO, CERCEAL, RABIGATO, FOLGAZÃO
Cor amarelo citrino, aberto, translúcido e de aspecto limpo. Aromas citrinos, muita frescura e mineralidade. Boca com acidez alta, sequinha, perfil sumarento cheio de citrinos e com bom comprimento de boca.

PÔPA 2012 TINTO | DOURO | 14% | PVP 10€
TINTA RORIZ, TOURIGA NACIONAL, TOURIGA FRANCA, VINHAS VELHAS
Cor rubi de média concentração, violeta cheios de juventude e aspecto limpo. Nariz com exuberância de fruta vermelha e preta madura, especiado, correcto e pronto a beber. Boca com vida, acidez e taninos vivos, corpo, fruta madura bem colocada, sem dúvida pronto a ir à mesa. Final de boca longo.

PÔPA TN 2009 TINTO | DOURO | 13,5% | PVP 16€
TOURIGA NACIONAL
Cor ligeiramente granada, média concentração, aspecto límpido. Aromas com predominância das notas florais bem ligadas a um conjunto com fruta preta, ligeiros especiados, algum couro que liga muito bem no conjunto com frescura. Boca fresca, taninos presentes e definidos, acidez equilibrada sempre muita elegância. Num momento de forma excelente e para juntar à mesa.

PÔPA TR 2009 TINTO | DOURO | 14% | PVP 22€
TINTA RORIZ
Cor granada, violetas definidos e de média concentração. Aromas onde a fruta vermelha e preta está dominante mas sem se impor de forma exuberante, com elegância, algum cacau e tosta leve num perfil fresco. Boca em grande equilíbrio, com corpo e estrutura pronta a seguir para a mesa e acompanhar gastronomia regional, acidez equilibrada e final de boca longo.

PÔPA VINHAS VELHAS 2009 TINTO | DOURO | 14% | PVP 25€
VINHAS VELHAS COM MAIS DE 60 ANOS
Cor rubi intenso e concentrado, mais aberto no bordo do copo, aspecto limpo. No nariz surge com muita fruta preta, alguma silvestre, com notas especiadas e tostadas bem ligadas e sem marcar em demasiado o conjunto. Boca cheia, estrutura bem composta, quase que mastigável e com a fruta toda presente. Final de boca longo, fresco e guloso.

PÔPA 2012 TINTO DOCE | DOURO | 11% | PVP 17€
VINHAS VELHAS
Cor de nuances violetas definidos e bonitos. Aromas cheios de fruta madura, compota, fresco e directo. Na boca enche o palato, fruta doce, mas não demasiado e funcionando como uma excelente opção para uma sobremesa de chocolate.

Vinhos de qualidade, com carisma, para beber já ou para guardar, com uma excelente opção para sobremesa ou aperitivo e sempre com irreverência.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Adegamãe Viosinho 2013 Branco

Características
Tipo: Vinho Branco
Castas: Viosinho
Região: Lisboa
Teor Alcoólico: 13,5%
Produtor:  Adega Mãe - Sociedade Agrícola, Lda
Preço:
6,99€ vap

Nota de Prova

Na presença de mais um monocasta deste produtor e com mais uma casta que usualmente vemos noutras regiões vitivinícolas. Desta vez um Viosinho com a qual conheço alguns vinhos bem interessantes nascidos na região de Lisboa. Ganha muita vida com a proximidade do mar. Cor citrina, nuances esverdeadas leves, aspecto límpido e brilhante. Nariz citrino, vegetal, notas de mar e um fundo mineral envolvente. Boca vivaz, acidez a secar o palato, a fazer salivar, citrino, toranja salino bem ligado com travo vegetal e mineral. Final de boca longo e cheio de frescura. A sopa de peixe agradeceu. 

Classificação: 87/100

domingo, 12 de outubro de 2014

Prova de Ouros e Grandes Ouros do Concurso Vinhos de Portugal na Sala Ogival de Lisboa | Região Tejo e Lisboa

No passado dia 27 de Setembro fui conhecer melhor alguns dos Ouros e Grandes Ouros do Concurso Vinhos de Portugal 2014 das regiões Tejo e Lisboa.
Vasco Avillez, presidente da CVR de Lisboa, foi orador e condutor da prova na Sala Ogival de Lisboa perante uma sala esgotada de interessados participantes que deste modo permitiram um saudável e enriquecedor diálogo ao longo da mesma.

CASAL DO CONDE 2013 BRANCO | 13% | DOC TEJO | PVP €
ALVARINHO
Sociedade Agrícola Casal do Conde, SA
OURO
Cor citrino, ligeiros esverdeados, não muito pronunciado. Aromas citrinos, alguma lima, fruta de caroço, toque mineral e fresco. Boca com acidez bem colocada, equilibrado com a fruta, sequinho, faz-nos salivar. Mineral e limpo. Final de boca longo.
80/100

PLANÍCIE 2013 BRANCO | 12,5% | DOC TEJO | PVP €
FERNÃO PIRES
Adega Cooperativa de Almeirim, CRL
OURO
Cor citrino, aspecto jovem. Aroma intenso a fruta tropical, alguma manga, abacaxi e algo doce. Na boca surge com mais frescura onde o perfil sumarento a fruta citrina predomina, num conjunto correcto e alinhado. Final de boca de média duração.
80/100

VALE DE LOBOS 2013 BRANCO | DOC TEJO | 12,5% | PVP €
Sociedade Agrícola da Quinta da Ribeirinha, Lda
OURO
Cor citrina, aspecto jovem e brilhante. Aromas intensos a fruta tropical, algum citrino, lima, toque leve vegetal e fresco. Na boca surge com acidez estaladiça, fruta de caroço e citrinos, equilibrado e com ligeiro toque untuoso que lhe dá algum volume de boca. Final de boca longo.
82/100

CABEÇA DE TOIRO RESERVA 2013 BRANCO | DOC TEJO | 13,5% | PVP €
ARINTO, CHARDONAY, SAUVIGNON BLANC
Enoport United Wines, SGPS
OURO
Cor amarelo citrino, definido, ligeiros esverdeados e aspecto límpido. Aromas delicados, sem serem exuberantes mas com a fruta tropical e alguma citrina presentes, ligeiro maracujá e toque verde fresco. Acidez de boca no ponto, crocante, vivaz, com muita fruta fresca e sumarenta. Sente-se um vinho com algum corpo e estrutura e já apontando à mesa. Final de boca longo.
85/100

CASA SANTOS LIMA SAUVIGNON BLANC 2013 BRANCO | CVR LISBOA | 13% | PVP €
SAUVIGNON BLANC
Casa Santos Lima
OURO
Cor citrina, quase transparente, aspecto novo e limpo. Aromas cheios de maracujá e muito mineral e fresco. Paladar fresco, acidez elevada e equilibrada com a fruta. Conjunto fresco com final prolongado.
83/100

MULA VELHA PREMIUM 2012 TINTO | CVR LISBOA | 13,5%| PVP €
SYRAH, TOURIGA NACIONAL E ALICANTE BOUSCHET
Parras Vinhos, Lda
OURO
Cor rubi concentrada, violetas definidos, aspecto jovem. Aromas pronunciados a fruta vermelha e preta madura, notas especiadas, cacau e de tosta leve e fresco. Boca com estrutura, boa acidez, alguma secura e adstringencia, fruta fresca, pronto a beber, com toque especiado e final de boca persistente.
84/100

CHOCAPALHA VINHA MÃE 2010 TINTO | CVR LISBOA | 14,5% | PVP €
TOURIGA NACIONAL, TINTA RORIZ, SYRAH
Casa Agrícola das Mimosas
OURO
Cor rubi, concentrado no núcleo, mais aberto e de tonalidades violetas no bordo do copo. No nariz surge um pouco marcado pela barrica, com especiados leves, fruta preta silvestre, algum terrosso, fumado e cheiro a bosque. Surge cheio de força, estrutura, taninos expressivos, marcados e cheio de fruta fresca. Surge bem equilibrado com toque especiado e vegetal. Final de boca longo. De durar. Está novo.
89/100


OPACO 2011 TINTO | CVR LISBOA | 13,5% | PVP €
SOUSÃO, ALICANTE BOUSCHET
Casa Santos Lima
GRANDE OURO
Cor rubi intenso, concentrado, fechado, violeta escuro e definido. Aroma com fruta preta silvestre madura, frutas do bosque, alguma cacau, especiado e com fumados definidos. Muito equilibrado. Boca de taninos definidos, marcados, vivaz, corpulento e cheio de estrutura. Fruta com frescura e bem rodeada dos predicados que lhe chegam pelo estagio de 16 meses em barrica nova que, felizmente, não marca em demasia o vinho. Belo conjunto. Final persistente.
90/100

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails