sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Encontro Com o Vinho e Sabores Bairrada 2016 | E Os Vinhos Premiados São.....

A 4ª Edição do  Encontro Com Vinhos e Sabores Bairrada já arrancou e espera por uma visita sua nos próximos dias. O evento foi inaugurado hoje pelas 17 horas e contou com a presença, para além do Presidente da Comissão Vitivinícola da Bairrada Pedro Soares, do Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes; do Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares Pedro Nuno Santos; do Presidente do Instituto da Vinha e do Vinho Frederico Falcão; do Presidente da ViniPortugal Jorge Monteiro  e da Presidente da Câmara Municipal de Anadia Teresa Cardoso. 

Pouco depois eram também conhecidos os resultados do Concurso de Vinhos e Espumantes Bairrada 2016, tendo os prémios sido entregues pela seguinte ordem:


CATEGORIA Espumantes com estágio até 24 meses
M&M Gold Edition ESpumante Branco (Beira Atlântico) | Caves Central da Bairrada
Argau Espumante Branco (Beira Atlântico) | Casa dos Barbas
Marquês de Marialva Espumante Bical e Arinto branco 2014 (Beira Atlântico) | Adega Cooperativa de Cantanhede

CATEGORIA Espumantes com estágio igual ou superior a 24 meses
Encontro Special Cuvée Espumante branco 2011 (Bairrada) | Quinta do Encontro
Lopo de Freitas Espumante branco 2011 (Bairrada) | Caves do Solar de São Domingos
Milheiro Selas Espumante branco 2012 (Bairrada) | António Assunção Coelho Selas
Quinta dos Abibes Sublime Espumante branco 2012 (Bairrada) | Quinta dos Abibes
Rama Blanc de Blanc Special Cuvée Espumante branco 2012 (Bairrada) | Jorge Manuel Ferreira Rama
São Domingos Velha Reserva Espumante branco 2011 (Bairrada) | Caves do Solar de São Domingos
Quinta dos Abibes Sublime Espumante branco 2010 (Bairrada) | Quinta dos Abibes


CATEGORIA Espumantes brancos de casta BAGA
Marquês de Marialva Blanc de Noir, Baga@Bairrada Espumante branco 2014 | Adega Cooperativa de Cantanhede

CATEGORIA VINHO BRANCO
Marquês de Marialva Reserva Arinto branco 2015 (Bairrada) | Adega Cooperativa de Cantanhede
Volúpia branco 2015 (Bairrada) | Caves do Solar de São Domingos


CATEGORIA VINHO TINTO
2221 Terroir Cantanhede tinto 2011 (Bairrada) | Adega Cooperativa de Cantanhede
Aliança Baga tinto 2009 (Bairrada) | Aliança Vinhos de Portugal
Porta dos Templários tinto 2014 (Bairrada) | Caves Arcos do Rei
Quinta da Lagoa Velha Premium tinto 2015 (Bairrada) | Carlos Silva Neto
Tagarela tinto 2015 (Bairrada) | Carlos Silva Neto
Vale da Brenha Reserva Baga e Bastardo tinto 2013 (Beira Atlântico) | Manuel Jesus Silva
Kompassus Reserva tinto 2013 (Bairrada) | Kompassus
São Domingos Grande Escolha tinto 2012 (Bairrada) | Caves do Solar de São Domingos
Vale da Brenha Reserva Baga e Bastardo tinto 2012 (Beira Atlântico) | Manuel Jesus Silva


CATEGORIA GRANDE OURO
Encontro Baga tinto 2011 (Bairrada) | Quinta do Encontro

Mais fotografias aqui.

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

OnWine Terroir Experience | Prova de Vinhos Icónicos

No âmbito do OnWine Terroir Experience, para além da Prova de Alvarinho, tive também a oportunidade de participar numa prova de vinhos icónicos de produtores representados pela OnWine Distribuição Nacional.
Alentejo, Dão e Douro levaram a prova cinco vinhos que não deixam ninguém indiferente e que mostraram ter ainda capacidade para envelhecer com qualidade em garrafa por mais um punhado de anos.

ICON D'AZAMOR 2004 TINTO | ALENTEJO | 14% | PVP 62,43€
SYRAH, ALICANTE BOUSCHET, TOURIGA FRANCA
KILBURN & GOMES, LDA
92 / 100
Produzido apenas em anos de excepcional qualidade o Icon de Azamor apresenta cor vermelho com acastanhados visíveis, média concentração e aspecto limpo. Aromas onde a fruta aparece mais tímida e escondida, bem ligada com notas frescas balsâmicas, alguma turfa, tostados envolvente e boa frescura. Na boca mostra boa estrutura, toque suave, já polido pelo tempo, intenso e vivaz a mostrar-se ainda com vida e com capacidade de dar prazer a quem o bebe.

QUINTA MENDES PEREIRA GARRAFEIRA 2004 TINTO | DÃO | 13%  | PVP 14,99€
TOURIGA NACIONAL, TINTA RORIZ, ALFROCHEIRO
RAQUEL CAMARGO MENDES PEREIRA
93 / 100
Cor vermelho rubi, com pequenas notas de envelhecimento e de aspecto limpo. No nariz a fruta preta mostra-se muito limpa, com notas bonitas do estágio em barrica, alguma caruma fresca, pinheiro bravo, fresco e muito definido. Na boca está cheio de vida, cheio de força, volumoso e com tanino bem presente. Alguma secura evidente, num conjunto muito equilibrado e com muito ainda para dar.

QUANTA TERRA GRANDE RESERVA 2007 TINTO | DOURO | 14,5% | PVP 23€ (0,75)
TOURIGA NACIONAL, TINTA BARROCA, TINTA RORIZ
QUANTA TERRA SOC DE VINHOS, LDA
94 / 100
O único desta prova a provir de uma garrafa magnum. Apresenta cor vermelho rubi intenso, violetas nítidos, aspecto limpo e ainda jovem. Aromas delicados, com notas florais, fruta vermelha madura, madeira ligada na perfeição, muita frescura, alguma tinta da china, sem notas de sobre-maturação. Boca cheia de vida, força, meio seco e intenso, corpulento, fruta vermelha madura, notas tostadas 3 alguma especiaria. Final de boca longo e persistente. 

CONCEITO 2007 TINTO | DOURO | 14% | PVP 29,89€
VINHAS VELHAS, TOURIGA NACIONAL, TOURIGA FRANCA, TINTA RORIZ, TINTO CÃO, TINTA BARROCA
VITIVINÍCOLA CARLA FERREIRA UNIPESSOAL, LDA
92 / 100
Cor vermelho rubi, intenso, de média concentração, aspecto limpo. Nariz com muita frescura, notas de fruta vermelha madura, alguma compota, notas de barrica bem casada e mineralidade presente. Na boca mostra continuidade com o nariz, frescura e barrica bem ligada, corpulento, cheio de estrutura, com força, a mostrar um grande ano num Douro fresco. Final de boca longo.

QUINTA DA GAIVOSA VINHA DO LORDELO 2007 TINTO | DOURO | 15,5% | PVP 63€
TOURIGA NACIONAL, TINTA RORIZ, TINTA AMARELA, SOUSÃO
DOMINGOS ALVES DE SOUSA
95 / 100
Cor rubi, vermelho intenso, de média concentração, violetas leves, aspecto límpido. No nariz mostra-se elegante, fruta vermelha e preta madura e florais bem casados, barrica completamente ligada, fumados, balsâmico, alguma esteva, mentolado fresco e nota mineral. Grande boca. Cheio, complexo e mastigável, a mostrar grande equilíbrio, personalidade, com taninos marcados e de final longo, mas com uma elegância evidente.

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

OnWine Terroir Experience | Prova de Alvarinho

No âmbito do OnWine Terroir Experience deste ano tive oportunidade em participar numa prova especial onde a casta Alvarinho foi a protagonista. Um Alvarinho da região dos Vinhos Verdes (Casal de Ventozela), um Alvarinho da região dos Vinhos Verdes produzido no Douro (Conceito) e um Alvarinho da região de Lisboa (Quinta de Sant'Ana). 
Em três regiões tão diferentes e com terroirs tão particulares, a certeza da qualidade da casta Alvarinho quando trabalhada com excelência na produção de grandes vinhos.

CASAL DE VENTOZELA ALVARINHO 2015 BRANCO | VINHOS VERDES | 13% | PVP 9,98€
ALVARINHO
CASAL DE VENTOZELA
89 / 100
Cor amarelo citrino, nuances esverdeadas e de aspecto límpido. Aromas com leve tropical, fruta de caroço e alguma pêra rocha, notas minerais e frescura. Boca com volume, uma certa cremosidade, acidez equilibrada, citrino fino num conjunto equilibrado. Final de boca persistente.

CONCEITO ALVARINHO 2015 BRANCO | VINHOS VERDES | 13% | PVP 15,90€
ALVARINHO
CONCEITO VINHOS, LDA
91 / 100
Cor amarelo citrino, esverdeados leves, aberto e de aspecto límpido. No nariz, apesar de um pouco fechado, as notas dos frutos citrinos são mais salientes, com alguma fruta branca de caroço, perfume floral e toque mineral envolvente. Na boca mostra volume médio, acidez limonada, maçã verde, citrino, menos volume do que o anterior, mais frescura. Final de boca longo.


QUINTA DE SANT'ANA ALVARINHO 2015 BRANCO | LISBOA | 12% | PVP 12,90€
ALVARINHO
QUINTA DE SANT'ANA
91 / 100
Cor amarelo palha, nuances esverdeadas leves, aspecto limpo e brilhante. Aromas intensos, onde a fruta, como a maça verde, se mistura bem com notas salinas devido à influência do Atlântico na vinha e perfil mineral marcado devido ao solo argilo-calcário. Menos expressão da fruta, mais terroir. Na boca apresenta-se seco, a puxar pelo salivar, notas salgadas, calcário, intenso, fruta citrina maçã verde. Final longo e persistente.

Bacalhau Fresco? Yes Please!

Em País onde a tradição é o bacalhau seco, a entrada a pouco e pouco no prato dos portugueses do bacalhau fresco ainda se faz com algum receio. Todavia, esta opção começa também a marcar presença assídua nas cartas de restaurantes de grandes Chefs e, talvez também por via dessa situação, a surgir de forma mais acessível no mercado para o consumidor normal (Eu).
O bacalhau fresco é mais suculento do que o tradicional bacalhau seco e demolhado, não é salgado de origem e portanto pode ser mais facilmente temperado a gosto e normalmente tem uma cor branca e um sabor mais suave.
Aventurei-me  também eu a ir para a cozinha e preparar uma tranche de bacalhau fresco. Optei pelo congelado da Iglo e acho que correu muito bem.
Para acompanhamento no copo escolhi um branco, tal como escolheria para o tradicional bacalhau seco. O Vidigueira Grande Escolha 2014 Branco fez desta junção um verdadeiro final feliz. 

Tranche de Bacalhau Fresco com Molho de Alho Francês e Gengibre

1 Tranche de Bacalhau Fresco Congelado Iglo
1 Alho Francês
1 Ovo Cozido
1 Cálice de Vinho Branco
Gengibre
Azeitonas
Azeite
Pimenta 
Sal

Tempere o bacalhau fresco com sal e pimenta e reserve por uns minutos e depois leve ao forno a 180ºc por cerca de 30 minutos. Enquanto o bacalhau cozinha no forno, prepare o molho de alho francês e gengibre. Coloque numa frigideira o alho francês cortado em finas fatias a reduzir num pouco de azeite, junte o sumo de um pedaço de gengibre e sal a gosto. Quando o alho francês começar a ficar com aspecto translúcido junte o vinho branco e deixe reduzir até ficar com consistência de molho.
Retire o Bacalhau do forno, cubra com o molho, com o ovo cozido fatiado e as azeitonas. Acompanhe com batatinha assada no forno com casca.

terça-feira, 27 de setembro de 2016

OnWine Terroir Experience em Lisboa

A OnWine Distribuição Nacional apresentou pela primeira vez aos profissionais do sector e imprensa a sua família de produtores. Com origem em diferentes regiões vinícolas de Portugal o evento foi uma verdadeira experiência de Terroirs.
O evento decorreu no Myriad Crystal Center em Lisboa e, para além da habitual rotina de provar vinhos de produtor em produtor, houve ainda lugar a duas provas especiais que muito me agradaram pelo diálogo que foi possível acompanhar entre os representantes de cada vinho e os convidados.  

Uma prova de Alvarinho onde a região dos Vinhos Verdes, Douro e Lisboa se juntaram; e uma prova de vinhos icónicos e antigos. De ambos os momentos falarei em próximas publicações.
A região dos Vinhos Verdes esteve representada  pelo Casal de Ventozela onde se destacou a apresentação do seu Alvarinho monocasta lançado este ano pela primeira vez.

O Douro, a região mais representada, revelou novos lançamentos dos vinhos Conceito, da Quinta da Gaivosa e de Quanta Terra. Oportunidade para presentear os convidados com colheitas antigas e raras, sendo que algumas já fora do mercado. 

A Quinta Mendes Pereira, o produtor do Dão com sotaque brasileiro, aproveitou este evento para dar a conhecer ao mercado o novíssimo Quinta Mendes Pereira Branco Doc. 
Da região de Lisboa, bem perto da costa marítima portuguesa, A Quinta de Sant'Ana apresentou algumas novidades neste palco. A saber, o Alvarinho 2015, o Merlot e o seu primeiro colheita tardia 100% Riesling que irá para o mercado brevemente.

Do Alentejo os vinhos Azamor mostraram vinhos com uma frescura fora do habitual quando vindo do terroir alentejano, revelando um branco pleno de frescura e revisitando o Icon d'Azamor 2004 na companhia do seu sucessor de 2010. A Herdade do Mouchão completou o Terroir alentejano, trazendo à prova os seus vinhos fortificados assim como a apresentação exclusiva do mel silvestre produzido na herdade.

Tempo ainda para dar um salto lá fora e conhecer vinhos e espumantes de terra de sua majestade e alguns vinho da região do Priorat cheios de força e carácter que não passaram despercebidos no conjunto do evento. 

Para terminar em beleza os vinhos do Porto da Krohn trouxeram alguns dos seus Portos para ser conhecidos e um Vintage 1965 para ser admirado. Uma oportunidade única.

Aos vinhos juntaram-se as marcas premium internacionais de destilados representados pela OnWine Distribuição Nacional. Apesar de apenas em exposição mostrou ser uma vertente onde a aposta na qualidade e exclusividade corresponde ao esperado.
Ver reportagem fotográfica completa aqui.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Prémios W 2016 de Aníbal Coutinho | Comer, Beber e Lazer Nomeado Para Blog de Vinho do Ano

Inserido na divulgação que, o enólogo e crítico de vinhos, Aníbal Coutinho tem vindo a desenvolver, há mais de uma década, analisando assim o que de melhor se faz nas várias áreas do sector vitivinícola nacional, propõe aos leitores da Newsletter Líquidos W – indexada ao seu Website pessoal, www.w-anibal.com – uma selecção dos melhores projectos ligados à cultura do vinho de Norte a Sul do País. Desta resultam os nomeados e consequentemente, em Janeiro do próximo ano, os vencedores das 31 categorias com a entrega de galardões referentes à 9ª edição dos Prémios W.
O Blog Comer, Beber e Lazer volta este ano a ser nomeado para a categoria de melhor Blog de Vinho do Ano e vê assim reconhecido o seu trabalho contínuo de promoção do vinho português, do bem que se come em Portugal e da beleza das terras lusas, pelo enólogo e crítico de vinhos, Aníbal Coutinho.

Parabéns aos 10 nomeados.

Mais novidades em Janeiro de 2017

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Monte da Ravasqueira Alvarinho 2015 Branco

MONTE DA RAVASQUEIRA ALVARINHO 2015 BRANCO | ALENTEJO | 13,5% | PVP  15,50€
ALVARINHO
MONTE DA RAVASQUEIRA SOC AGRÍCOLA D. DINIZ, SA
16

No alentejo também nasce vinho feito apenas a partir da casta Alvarinho. Um alvarinho limpo de barrica e que busca do solo argilo-calcário com algum granito em que vive para expressar um perfil mais mineral e fresco do que poderíamos esperar das terras quentes do Alentejo.
Visualmente de cor citrina, nunaces esverdeadas e de aspecto límpido. Aromas intensos, notas florais e leve fruta tropical num conjunto equilibrado com bastante mineralidade e frescura. Expressivo de boca, acidez crocante e vivaz a marcar a primeira posição, num perfil citrino, sumarento, alguma secura e um final longo. disponibilidade para a mesa e algum potencial de bom envelhecimento.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

[Obrigatório] Encontro com o Vinho e Sabores Bairrada 2016

O Encontro com o Vinho e Sabores Bairrada é cada vez mais um dos eventos a marcar presença. Este ano não será diferente pelo que é um dos que sugiro como Obrigatório na minha lista de eventos anuais.
O Encontro com o Vinho e Sabores 2016 realiza-se de 30 de Setembro a 02 de Outubro no Velódromo Nacional - Centro de Alto Rendimento de Sangalhos, no concelho de Anadia, numa organização conjunta da Comissão Vitivinícola da Bairrada, do Município de Anadia e do Turismo do Centro de Portugal, com produção da Revista de Vinhos e apoio da Rota da Bairrada, Instituto da Vinha e do Vinho, ViniPortugal, entre outras entidades.
O formato do evento mantém-se similar ao de anos anteriores, isto é, feira de vinhos e sabores ao longo dos três dias do evento, três provas de vinhos comentadas por críticos da Revista de Vinhos (uma por dia), dois jantares temáticos e a edição de 2016 do "Concurso de Vinhos e Espumantes Bairrada".
Se não puder estar presente então acompanhe de perto, aqui no Blog e nas redes sociais do Comer, Beber e Lazer (Facebook, Instagram e Twitter), os momentos principais de cada dia. Os hastags #comerbeberlazer #bairrada #ecvsbairrada2016 vão estar ao rubro.
___________________________________________________________
ENCONTRO COM O VINHO E SABORES BAIRRADA 2016
30 SETEMBRO A 2 OUTUBRO
Velódromo Nacional - Centro de Alto Rendimento de Sangalhos - Anadia
30 de Setembro – 6ª feira: 17:00h - 22:00h
1 de Outubro – Sábado: 15:00h - 22:00h
2 de Ouubro – Domingo: 15:00h - 20:00h
Entrada Gratuita
Copo de Prova: 3€ com oferta de porta-copos

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Herdade das Servas | Novas Colheitas em Tempo de Vindima

Em plena época de vindima fomos até à Herdade das Servas no Alentejo conhecer as novidades do produtor e participar numa animada experiência de pisa a pé em lagares de mármore.
Dos quatro vinhos apresentados três deles foram novidades absolutas em termos de referência do produtor no mercado e uma nova colheita pronta a sair para as prateleiras .
Em primeiro lugar, destaque para o Alvarinho que, segundo Luís Mira, não pretende ser uma cópia ou tentar sequer aproximar-se do Alvarinho da região dos vinhos verdes,  mas antes ser um alvarinho com a identidade do alentejo e mostrar que é possível produzir e gostar de perfis diferentes de Alvarinho.
O Herdade das Servas Reserva Branco, um filho já há muito esperado e que nasce agora para fazer a devida companhia ao seu irmão Reserva Tinto. Uma primeira colheita, ainda com um número muito baixo de garrafas produzidas, mas que permite olhar para um futuro risonho e apontar para o caminho pretendido pelo produtor.
E por fim, na lista de novas referências, o Herdade das Servas Parcela V 2011 Tinto que mostra um vinho especial proveniente da Parcela V, nome dado pelos irmãos Mira a esta parcela da Vinha dos Clérigos com cerca de 70 anos de idade em Borba. Um vinhas velhas cheio de mineralidade e frescura.

HERDADE DAS SERVAS ALVARINHO 2015 BRANCO | ALENTEJO | 13,5% | PVP 12€
ALVARINHO 
HERDADE DAS SERVAS - SERRANO MIRA, SA
90 / 100
Cor amarelo citrino,  definido, aspecto limpo. Nariz intenso, fruta tropical e de caroço com pinceladas leves de citrinos, abacaxi maduro, manga, pêssego, lima com toque mineral. Boca com boa estrutura,  leve untuosidade, cremosidade fina, fruta bem delineada, equilibrado e final de boca longo.

HERDADE DAS SERVAS RESERVA  2015 BRANCO | ALENTEJO | 13,5% | PVP 15€
ARINTO, VERDELHO, ALVARINHO
HERDADE DAS SERVAS - SERRANO MIRA, SA
91,5 / 100
Cor amarelo citrino, definido, aspecto limpo e jovem. Aromas com fruta de polpa amarela,  ameixas, tropical e citrinos bem ligados, com a presença de notas da barrica bem presentes,  mas de forma já bem ligada e sem tapar a fruta. Boca volumosa, acidez muito interessante, a secar o palato, a fazer salivar,  a pedir comida, com a fruta num plano fresco e sumarento e com a barrica num plano inferior, a compor um conjunto muito equilibrado e complexo. Final de boca longo e persistente.

HERDADE DAS SERVAS RESERVA  2013 TINTO  | ALENTEJO | 15,5% | PVP 18€
ALICANTE BOUSCHET, CABERNET SAUVIGNON, ALFROCHEIRO,  ARAGONEZ 
HERDADE DAS SERVAS - SERRANO MIRA, SA
91,5 / 100
Cor vermelho rubi intenso e concentrado,  núcleo mais fechado, aspecto limpo. Aromas elegante e pleno de frescura, notas de pimento vermelho maduro, especiados finos, tostados leves e bem integrados. Boca com grande estrutura, corpolento, robusto, tanino mais seco, com fruta preta madura e fresca bem ligada com as notas de pimento, algum vegetal e características do estágio em barrica. Final fresco elegante.

HERDADE DAS SERVAS PARCELA V 2011 TINTO| ALENTEJO | 14,5% | PVP 50€
VINHA VELHA
HERDADE DAS SERVAS - SERRANO MIRA, SA
94  / 100
Cor vermelho rubi intenso, concentrado,  nuances violeta definidos, aspecto limpo e jovem apesar dos seus já 5 anos. No nariz surge com muita elegância e delicadeza,  a fruta vermelha e preta madura mostra-se fresca,  com notas vegetais e especiadas muito bem ligadas, barrica completamente casada, complexo e fresco. Boca segura, corpulento, a mastigar, lentamente, a secar o palato em progressão, a transportar a elegância e frescura da fruta já presente no nariz, o lado vegetal e especiado, um pimento maduro, pleno de equilíbrio.  Um vinho gastronómico, a puxar pratos da região,  a pedir mesa e uma roda de amigos. Termina longo.
Após a prova seguiu-se o almoço no Restaurante da Herdade das Servas onde foi possível verificar o comportamento de cada um destes vinhos com a boa gastronomia Alentejana. Entradas variadas como queijo e enchidos regionais, manteigas caseiras, uma composta sopa de cação, e as bochechas de porco no forno de comer à colherada fizeram belas maridagens com os vinhos.
Depois, para ajudar à digestão, um passeio para melhor conhecer a adega e as últimas novidades também neste plano. Terminado o dia com uma animada pisa em lagar de mármore onde graúdos e crianças, num mini cenário de pisa criado propositadamente para o efeito , puderam mostrar toda a perícia e vontade nesta arte.

Fica o desafio para um dia diferente em torno do vinho, ou melhor, em pleno Comer, Beber e Lazer. Ver mais fotografias deste dia aqui.

___________________________________________________
HERDADE DAS SERVAS EXPERIÊNCIA VINDIMAS
A oferta da Herdade das Servas inclui duas opções, que diferem na inclusão, ou não, do almoço.

Opção A - Pisa a Pé em Lagares de Mármore e Almoço
. Recepção dos participantes e apresentação da Herdade das Servas
. Visita à adega, zona de vinificação e cave de estágio
. Selecção das uvas na mesa de escolha
. Pisa a pé em lagares de mármore
. Prova de vinhos
. Almoço no restaurante Herdade das Servas
. Oferta de t-shirt de vindima, diploma de participação e garrafa de vinho
Preço: €50,00 por pessoa

Opção B - Pisa a Pé em Lagares de Mármore

. Recepção dos participantes
. Visita à adega, zona de vinificação e cave de estágio
. Selecção das uvas na mesa de escolha
. Pisa a pé em lagares de mármore
. Prova de vinhos
. Oferta de t-shirt de vindima, diploma de participação e garrafa de vinho
Preço: €25,00 por pessoa 
 
Mais informações através de 268 322 949 ou info@herdadedasservas.com

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Casa da Passarella Abanico Reserva 2012 Tinto

CASA DA PASSARELLA ABANICO RESERVA 2012 TINTO | DÃO | 13,5% | PVP  8,49€
TOURIGA NACIONAL, ALFROCHEIRO, JAEN
O ABRIGO DA PASSARELLA, LDA
90 / 100

Nova colheita do Abanico Reserva da Casa da Passarella. Chega mais uma vez cheio de ímpeto, pleno de frescura e jovialidade apesar de contar já com uns aninhos de espera.
Cor vermelho granada, intenso e fechado, de aspecto limpo. Aromas um pouco contidos, mas com a fruta vermelha madura, os florais, as notas especiadas e os toques frescos do bosque se mostram num conjunto pleno de equilíbrio. Na boca, o lado mais austero e cru deste abanico. Mostra-se cheio de carácter e com muito Dão. A fruta mostra-se fresca, com taninos a marcarem presença, talvez ainda um pouco rudes, mas a agradarem a cada copo. Final de boa longo e marcar o palato.
Daqueles que não engana e que merece um lugar à nossa mesa.

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Caminhos Cruzados Com Teixuga Branco como Topo de Gama

Quando um produtor de vinhos procura dar a conhecer ao mundo o seu primeiro filho “Maior”, é natural que se espere por um vinho tinto. É algo muito nosso que se espere sempre algo mais de um tinto do que de um branco. Está enraizado no nosso corpo e mente que assim seja, pelo que, quando um produtor nos troca as voltas, é sempre de lhe bater palmas pela coragem com que se vira contra a corrente e, neste caso, pelo excelente branco com que nos presenteia. 

O produtor Caminhos Cruzados, da região vitivinícola do Dão, deu a conhecer o seu primeiro topo de gama: o Teixuga branco 2013. A cara mais visível, deste projecto recente do Dão, é o de Lígia Santos que, com o seu Pai, Paulo Santos, numa visão muito familiar de sonhar com o regressar às suas origens e de colocar Nelas no mapa dos grandes vinhos do Dão e objectivos muito bem traçados, têm sabido dar os passos certos para apresentar uma gama de vinhos com qualidade e perfil diferenciador do já existente no mercado. A gama Titular mostra-se, de colheita para colheita, um valor cada vez mais certo no nosso mercado. 

A dupla de enólogos da casa neste momento, Carlos Magalhães e Manuel Vieira, dispensa qualquer apresentação e reforçando, e de que maneira, o desenho inicialmente traçado. 
O Teixuga foi criado por esta equipa sabendo o objectivo que se queria alcançar e o resultado é um branco 100% Encruzado, proveniente de vinhas com mais de 60 anos, com berço nos vinhedos da Quinta da Teixuga e com estágio de 19 meses em barricas novas de carvalho francês e outros 12 em garrafa, Cuidado até hoje como um bébé que se quer muito ver nascer, o Teixuga branco revela um perfil pleno de estrutura, complexidade, de grande volume, equilíbrio do conjunto e potencial de guarda fabuloso. 

A apresentação à imprensa decorreu no Espaço Kuc, em Lisboa, com uma ementa preparada pelo Chef Vincent Farges, cuja passagem pelo Fortaleza do Guincho podemos recordar com um grande sorriso, e que aqui preparou, com mestria, a maridagem para o Teixuga Branco, como também para o Titular Encruzado/Malvasia Fina 2015 e para o surpreendente Titular Jaen 2014.

TITULAR ENCRUZADO-MALVASIA FINA 2015 BRANCO | DÃO | 13% | PVP 8€
ENCRUZADO, MALVASIA FINA
CAMINHOS CRUZADOS, LDA
16
revela cor amarelo citrino, aberto, aspecto limpo e jovem. No nariz destaca-se a fruta branca madura e o citrino, elegante, muito mineral e fresco. Boca com expressão citrina, fruta amarela de caroço, acidez equilibrada, sumarento e de final de boca longo.
TITULAR JAEN 2014 TINTO | DÃO | 13% | PVP 6,50€
JAEN
CAMINHOS CRUZADOS, LDA
16,5
Vinho de cor vermelho granada, de média concentração, aspecto limpo. Tem aromas intensos a fruta vermelha fresca, pinheiro verde, mentolado, muito fresco, desentope o nariz. Na boca mostra-se vivo, com acidez equilibrada, taninos mais redondos, mais polidos, fruta vermelha madura fresca, perfil muito harmonioso e de final de boca muito elegante e longo.
TEIXUGA 2013 BRANCO | DÃO | 13,5% | PVP 30€
ENCRUZADO
CAMINHOS CRUZADOS, LDA
17,5
Mostra-se amarelo citrino, definido, com leves tons esverdeados, aspecto jovem e brilhante. Aromas onde a fruta amarela de caroço, as notas florais e os traços vindos da barrica se juntam de forma feliz, muito equilibrado, pleno de frescura. No boca grande volume, untuosidade fina, leve, com acidez acutilante e harmoniosa, fruta fresca, alguma maçã verde, barrica completamente ligada, final de boca longo, persistente e elegante.
Ver mais fotografias aqui.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Pôpa 2015 Rosé

PÔPA 2015 ROSÉ | DOURO | 12% | PVP  9,90€
TINTA RORIZ, TOURIGA NACIONAL
QUINTA DO PÔPA, LDA
15,5

Este rosé chegou-me ao copo já em final de verão e, após bebê-lo, fez-me pensar no jeitaço que teria dado se o tivesse descoberto um pouco mais cedo por altura dos quentes dias de julho e agosto.
Apesar de não ir pela cor da moda nos rosés, o rosa claro, bastante aberto com que nos brinda o olhar está também muito longe dos rosés rosa choque, quase vermelho que até bem à pouco tempo faziam mancha nas prateleiras (a foto não lhe faz juz). No nariz vamos na direcção dos frutos vermelhos, onde os morangos e framboesas frescos se mostram elegantes e com presença correcta. Na boca gabo-lhe a acidez e o perfil frutado num conjunto pleno de equilíbrio e onde a baixa graduação alcoólica lhe conferem um estilo muito descontraído e fino, apesar de lhe reconhecer, também, algum corpo e ligeira cremosidade que o fazem subir quando em ligação à comida.

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Viver as Vindimas... em Festa na Quinta do Gradil

Estamos na época das Vindimas. Nos meses de Agosto, Setembro, Outubro e, em alguns casos especiais, ainda em Novembro é possível viver as vindimas de norte a sul do País. Portugal vinhateiro, carregado de tradição na produção do vinho,  arregaça mangas e coloca suor e paixão nesta actividade com momentos tão diferentes de região vitivinícola para região vitivinícola.

Na Quinta do Gradil, secular propriedade que pertenceu ao Marquês de Pombal, situada no Cadaval, a 50 km de Lisboa, região de produção de vinhos de Lisboa, a tradição é também a sua Festa das Vindimas. Um dia de festa especial onde os amigos da casa são convidados a formarem uma autêntica família ao seu redor.
Uma experiência que passa pela vindima propriamente dita,  pela pisa da uva, pela visita à adega, ou seja, pelo acompanhamento total da uva desde a videira até à adega terminando depois num jantar onde a boa disposição casa na perfeição com a comida e os vinhos do produtor.

Este ano uma festa ao entardecer, em modo Sunset Harvest, com a vinha cheia de cor, de luz dourada, sempre com música a acompanhar, com os participantes trajados a rigor e munidos de ferramenta essencial nas mãos, vindimando a casta Fernão Pires que será vinificado e oferecido aos participantes na festa do próximo ano.

A pisa, feita de inicio pelas crianças presentes, marcou o final de tarde na transição para a mesa num jantar que se iniciou com a última luz do dia e que terminou com a luz do espectáculo pirotécnico a assinalar o final da festa.

Ver mais fotos deste dia aqui.
_______________________________________________
QUINTA DO GRADIL EXPERIÊNCIA VINDIMAS
Este programa pode ser adquirido para pequenos grupos com um número mínimo de 15 participantes, durante o período de 1 de Setembro a 15 de Outubro.

Reservas e Informações:
Telefone: +351 262 770 000 ou +351 914 909 214
Morada: EN115 Vilar - CADAVAL

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails