terça-feira, 25 de julho de 2017

Porto Branco | 10 Razões Para o Incluir na Lista de Compras

Em casa de ferreiro espeto de pau. Este ditado popular não engana e aplica-se inteiramente à opção que fazemos na hora de escolher entre o que é Nosso e de excelência e o que é do outros e está simplesmente porque está na moda. 
Somos rápidos a aderir à gin mania, à vodka marota, ao rum do caribe e à cachaça com sotaque, mas ao Porto Branco que por cá anda desde sempre torcemos o nariz e não sabemos o que fazer com ele.
Este verão tem sido a minha escolha e por isso deixo aqui 10 razões para ser também a vossa.

1. Porto Tonic. Desde há muito uma excelente opção para combater o calor e refrescar corpo e alma.  Basta Porto Branco, água tónica, limão e muito gelo;

2. Preço. Quando comparado com as outras bebidas que podem competir com o Porto Branco, este ainda é de longe, a opção mais barata, sem querer dizer menos qualidade;

3. Moda. Sem dúvida que será a next big thing na moda das bebidas de bar. Há que estar preparado;

4. Álcool. Mais uma vez, quando comparado com os rivais é a opção menos alcoólica. logo... não preciso de dizer mais nada;

5. Frescura. Menos álcool, mais frescura, mais leveza;

6. CaipiPort. Pois é. Também é possivel o CaipiPort. Siga a receita da Caipirinha e substitua a cachaça de cana por Porto branco;

7. Diferença. Marca pela diferença. Quando todos estão a beber as mesmas coisas, over and over again, o Porto branco marca a diferença;

8. Flexibilidade. A solo, fresco; em coktails variados; e até para algumas harmonizações à mesa. Não falha;

9. Delicioso. Simplesmente por isso;

10. Portugal. Porto grita o nome do nosso País onde quer que se esteja.

Sabem de mais alguma que se possa adicionar?

domingo, 23 de julho de 2017

Mare Et Corvus 2015 Branco

MARE ET CORVUS 2015 BRANCO | LISBOA | 13% | PVP  7,50€
FERNÃO PIRES, MALVASIA, CHARDONNAY
JOSÉ HUMBERTO NUNES CORVO
15,5

Voltei ao vinho mais ocidental da Europa. Um vinho, sem dúvida único, feito a partir das vinhas de chão rijo, viradas ao mar bravo da costa atlântica mesmo ali sob a Praia da Adraga. Esta exposição ao ventos salinos e molhados da costa tem um importante poder de modelagem no perfil do mesmo.
De cor amarelo citrino definido, com alguns laivos dourados e de aspecto limpo. Aromas marcados no início pelas notas salinas, pela água do mar, seguido pela fruta citrina, pela maça verde, alguma fruta de polpa branca, muita frescura, mas a envolvência salina é de facto única. Boca com acidez equilibrada, muitas notas citrinas, boa secura, muito salino, mineral, terminando longo, persistente e fresco.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Pouca Roupa 2016 Rosé

POUCA ROUPA 2016 ROSÉ | ALENTEJO | 12,5% | PVP  3,99€
ARAGONEZ, TOURIGA NACIONAL, CABERNET SAUVIGNON
J PORTUGAL VINHOS, SA
15

Este é um rosé perfeito para o verão, para os dias mais descontraídos, para beber sem pensar muito, para refrescar, beber à beira da piscina ou mesmo dentro dela e para levar à refeição com prato leves e de sabores pouco intensos.
Assume uma imagem jovem, também ela despreocupada e um nome que ajuda a desbloquear muita conversa.
A colheita deste ano apresenta um rosado salmão aberto, claro e de aspecto limpo e brilhante. Nariz onde predomina a fruta vermelha madura e fresca, morango e framboesa, com leves notas vegetais a conferir equilíbrio ao conjunto. Fresco e leve na boca, com a fruta vermelha a continuar a marcar a sua presença, muito leve e directo num final de boca de médio/longo alcance.

terça-feira, 18 de julho de 2017

Quinta do Valdoeiro Chardonnay 2016 Branco

QUINTA DO VALDOEIRO 2016 BRANCO | BAIRRADA | 12,5% | PVP  8€
CHARDONNAY
SOCIEDADE AGRÍCOLA E COMERCIAL VINHOS MESSIAS, SA
16,5

A colheita mais recente do Chardonnay da Quinta do Valdoeira trás uma nova imagem consigo. Mais clean e apelativa, parece querer apontar a um novo destino, mais perto dos consumidores e dos apreciadores de branco com mais alguma estrutura e complexidade, pronto para um verão quente, mas particularmente pronto para fazer companhia ao verão... à mesa ou para guardar por mais algum tempo.
Cor amarelo citrino, definido, com nuances de esverdeados leves e aspecto limpo. No nariz mostra boa intensidade da fruta amarela e branca de caroço, algum citrino e tropical bem casado no conjunto, perfil fresco e elegante. Na boca revela estrutura e desde logo percepção para uma espera em garrafa que lhe será benéfica. Boa acidez, ainda um pouco austero, vivaço e mordaz, com volume e intensidade final de boca muito interessante.
A colocar na lista para este verão .

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Colinas do Douro Reserva 2015 Tinto

COLINAS DO DOURO RESERVA 2015 TINTO | DOURO | 14% | PVP  9€
TOURIGA NACIONAL, TOURIGA FRANCA, TINTA RORIZ, TINTO CÃO
COLINAS DO DOURO SOCIEDADE AGRÍCOLA, LDA
16,5

O Douro Superior continua a ser, tanto nos brancos como nos tintos, um terroir-palco de excelência para vinhos plenos de frescura e qualidade. Este produtor, relativamente recente no panorama vínico português, mostra, passo a passo, que veio para ficar.
De cor vermelho rubi intenso e concentrado, nuances violáceas e aspecto ainda jovem. Aromas intensos e marcados pelas notas de fruta vermelha e preta madura e fresca, perfumado floral elegante, ligeiro monte em flor, num equilibrado conjunto com as notas mais especiadas e de baunilha vindas do estágio em barricas. Boa estrutura e volume de boca, largo, ligeira cremosidade e de tanino presente, mas já meio arredondado. Continua a mostra um perfil fresco, com fruta bem colocada e um final de boca longo.

terça-feira, 11 de julho de 2017

Herdade do Arrepiado Velho Petit Verdot Unoaked 2015 Tinto

HERDADE DO ARREPIADO VELHO PETIT VERDOT UNOAKED 2015 TINTO | ALENTEJO | 14,5% | PVP  17€
PETIT VERDOT
ARREPIADO WINE & TOURISM, LDA
16,5

Novidade de número muito limitado vindo do Alentejo mais fresco de Sousel, em Portalegre, de rótulo pincelado a branco, cativando o olhar com mais um trabalho de imagem magnífico e despido de barrica para mostrar a casta no seu estado mais puro.
Revela um petit verdot mais cru do que habitual, com a fruta preta bem presente, complexo, boa acidez, escondendo o seu grau alcoólico e de perfil bem fresco.
Cor vermelho intenso, concentrado, violetas escuros e de aspecto jovem e limpo. No nariz a fruta preta silvestre e de bosque mostra-se com mais evidência, amora, cereja e ameixa preta, muito fresca, muito bonita e definida, com apontamentos elegante de algum floral e ligeira alfazema. Na boca continuamos com boa intensidade e expressão da casta, largo de boca, corpulento, de acidez acutilante e de taninos bem presentes num conjunto que ainda se está a ajeitar e a precisar apenas de mais algum tempo para polir alguma aresta. Sem dúvida um vinho para comida, para os pratos bem alentejanos à base de carne, para marcar uma refeição.
Vou gostar de o encontrar novamente com mais tempo de descanso em garrafa.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Quinta da Romaneira Reserva 2010 Tinto

QUINTA DA ROMANEIRA RESERVA 2010 TINTO | DOURO | 13% | PVP  38€
TOURIGA NACIONAL, TOURIGA FRANCA
SOCIEDADE AGRÍCOLA DA ROMANEIRA, SA
17

Este é um daqueles produtores do Douro que, apesar de conhecer pouco, quando bebo um dos seus vinhos fico com vontade de conhecer logo um pouco mais. Apesar de provado recentemente apresenta-se num momento de forma excelente.
A fruta vermelha e preta continua cá, concentrada, intensa, mas ao mesmo tempo muito elegante, num conjunto muito equilibrado e sem estar pesado ou enfadonho. Um grande vinho para pratos à base de carne, de cozinha tradicional portuguesa e a pedir este ponto de equilíbrio.
Cor rubi intenso, concentrado e fechado, não mostrando os seus quase sete anos de vida, aspecto limpo e de lágrima chorosa. No nariz a fruta vermelha e preta silvestre, bem madura, com muito detalhe e bem ladeado pelas notas perfumadas de violetas, alguns fumados discretos, notas do estágio em barrica ligados, fundo balsâmico e fresco. Na boca mostra-se muito fresco, de corpo formado e amplo, taninos polidos e redondos. Funciona pelo conjunto harmonioso e pelo prazer que neste momento dá ao beber.
Final longo e a pedir um prato de carne para acompanhar.

domingo, 9 de julho de 2017

Esporão Duas Castas 2016 Branco

ESPORÃO DUAS CASTAS 2016 BRANCO | ALENTEJO | 13,5% | PVP  8€
ROUPEIRO, VIOSINHO
ESPORÃO, SA
16

A Esporão continua a apostar neste Duas Castas, que este este ano é composto, em partes iguais, pelo bem conhecido por terras alentejanas Roupeiro e por um recente outsider Viosinho. O resultado continua a ser uma excelente opção nesta gama de preços.
Cor amarelo citrino, nuances esverdeadas, aspecto novo, limpo e brilhante. Revela boa Intensidade aromática, fruta amarela de caroço, algum citrino, bergamota, toranja e lima, notas de flor branca, perfil fresco. Na boca revela algum corpo e estrutura, com acidez acutilante, que seca o palato, com nervo, citrino, envolvente, longo e persistente.
Uma óptima opção à mesa pela sua acidez e estrutura.

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Carvalhas 2015 Branco

CARVALHAS 2015 BRANCO | DOURO | 13% | PVP  23€
VIOSINHO, GOUVEIO
REAL COMPANHIA VELHA
17,5

Regresso à mais recente colheita do Carvalhas branco e passados apenas cerca de três meses e este descanso extra revela-se já diferenciador.
Apesar de o continuar a considerar um vinho extremamente jovem e, sem dúvida alguma, um branco de guarda, o facto é que fiquei mais satisfeito por mostrar o caminho para onde vai, ou seja, o bom caminho das anteriores colheitas.
Visualmente de tonalidade amarelo citrino, aspecto jovem e limpo. Aromaticamnete intenso, mostrando-se elegante, com a fruta amarela de caroço fresca bem colocada e beneficiando já dos tostados leves da barrica e alguma baunilha envolvente, mostrando um conjunto equilibrado e fresco.
Na boca mostra volume, corpo, uma certa untuosidade muito bem temperada por uma acidez mordaz, trazendo-lhe leveza, finura e alguma delicadeza. As notas provenientes da barrica estão também aqui mais ligadas, ainda sobressaindo, mas aconchegando o palato e terminando longo e fino.
Lugar agora ao descanso na garrafeira da outra garrafa por abrir.

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Restaurante Cozinha da Clara - Pinhão

Em Pleno Douro Património Mundial da Humanidade, a Quinta de la Rosa, reconhecida pela produção de vinhos do Porto e do Douro, pela Casa de Hóspedes e pelo espaço de enoturismo situada no Pinhão, acaba de dar mais um passo no desenvolvimento das suas infraestrutura e abriu recentemente o Restaurante Cozinha da Clara. 

Esta é uma "cozinha" plena de sentimento, de paixão e de homenagem à avó de Sophia Bergqvist, co-proprietária e gestora da Quinta de la Rosa, que na inauguração oficial do restaurante, nos acarinhou com algumas palavras e histórias da sua Avó, da Quinta de La Rosa e do quanto significa a abertura deste espaço.

Aliás, o logótipo do Cozinha da Clara remete-nos precisamente para a caligrafia da a avó de Sophia Bergqvist, Claire Feuerheerd (1907-1972), a quem a Quinta de la Rosa foi oferecida como presente de baptismo.
Construído por forma a respeitar todo o património envolvente, a construção do restaurante foi um projecto desafiante de arquitectura, tendo sido posicionado em encosta, tipo socalco das vinhas, desfrutando de uma vista privilegiada e lindíssima sobre o Rio Douro e o Pinhão e adicionando à sala interior um espaço de esplanada, tipo varanda sobre o Rio Douro, na qual apetece ficar sem data para sair.

No interior, para além de um cantinho especial dedicado a Claire, o espaço é feito de linhas rectas, tonalidades claras, limpas e com uma estrutura de paredes e tecto especial para que o som que circula pela sala seja uma benção e não uma tortura.
Na Cozinha da Clara manda o Chef Pedro Cardoso. Os pratos assentam numa base de raiz tradicional portuguesa, mas com um toque moderno e sofisticado, mantendo os sabores e aromas, mas com um aspecto visual contemporâneo. Alguns dos pratos têm mesmo como base o antigo receituário da avó Clara, o que torna a experiência ainda mais sentida.

O Amuse Bousche para começar trouxe à mesa  a Terrina de Leitão com Cogumelos, Batata Doce Frita e Gomos de Laranja casado no copo com o rosé La Rosa 2016.

De seguida, um dos meus preferidos da noite. Viciantes. Era capaz de estar a comer estas Chamuças de Sardinha Com Compota de Pimentos Vermelhos e Mescla de Alfaces pela noite fora juntamente com o branco reserva La Rosa 2016 que foi servido.

O prato de sopa veio logo de seguida.O Creme de Couve Flor Com Salmonete Braseado, Amêndoa Tostada e Azeite de Marisco. Simples, delicioso e reconfortante. O salmonete e a amêndoa fazem saltar um creme de couve flor que poderia soar a algo sensaborão. Fez-lhe companhia a novidade Tim Grande Reserva 2015 branco.

Patamar colocado bem alto até ao momento para a chegada da Corvina com Batata de Caldeirada e Molho de Peixe. No ponto de cozedura, com lascas definidas e o molho de peixe a dar largura e um kick final e envolvente. O branco LA Rosa Reserva foi o escolhido para lhe fazer companhia.

Tempo de saltar para o prato de carne com um corta sabores surpresa. Sabor citrico, textura estranha no incio, mas depois, houvesse oportunidade, e era shoot atrás de shoot deste Granizado de Tomilho Limão. Objectivo atingido.

O Tornedó de Vitela Com Milhos Transmontanos em Duas Texturas e Molho de Vinho de Porto mostrou o prato de carne. O tinto reserva La Rosa fez uma feliz ligação com a textura e sucos da carne e o molho mais rico do vinho de Porto.

Para terminar a sobremesa trouxe a Torta de Abóbora com Pasta de Queijo com Lima e Gelado de Noz. Apesar de não ser fã das ligações com gelado e doce na mesma sobremesa, a verdade é que esta resultou. O La Rosa Tawny 20 anos e o Vintage 1960 da cave privada do Produtor foram servidos. Um momento solene que não se esquecerá tão cedo.

Agora há mais uma (boa) desculpa para visitar o Pinhão.
____________________________________________________
COZINHA DA CLARA - CLAIRE'S KITCHEN
Tipo de Cozinha: Portuguesa
Copos de Vinho Adequados: Sim
Estacionamento: Fácil
Horário: 13:00H-15:00H e 20:00H-22h00/22h30 (ajusta em função da época do ano)
Preço Médio Refeição: 40€

Morada: Quinta de la Rosa, 215, 5085-201 PINHÃO
Telefone: +351 254 732 254
Email: bookings@quintadelarosa.com
Na Net: Quinta De La Rosa

terça-feira, 4 de julho de 2017

Dom Pérignon Millésime Vintage 2004 Brut

DOM PÉRIGNON MILLÉSIME VINTAGE 2004 BRUT | CHAMPAGNE | 12,5% | PVP  150€
CHARDONNAY, PINOT NOIR
CHAMPGNE MOET & CHADON A EPERNAY
18,5

O mês de julho com um vinho da região de Champagne, um Dom Pérignon da colheita de 2004. Conta a história que pelo século XVIII, Dom Perignon, Monge da Abadia de Haut-Villiers, decidiu efetuar uma segunda fermentação na própria garrafa vedando-a com uma rolha de cortiça. O que aconteceu a seguir todos já conhecem um pouco, pelo que, se acredita, que aqui terá nascido o verdadeiro vinho Champagne.
Deste modo, beber uma garrafa com este nome é também beber um pouco da história do vinho assim como ter o prazer de beber um dos ícones neste tipo de vinho.
A colheita de 2004 resulta de um bom ano na vinha, sem sobressaltos de temperaturas, sem doenças e com consequente resultado num vinho com potencial de envelhecimento e representando um dos anos clássicos do produtor.
De cor amarelo citrino, bolha finíssima e persistente. No nariz notas delicadas de fruta amarela e caroço, alguma fruta seca, amêndoa, pinhão, leves pão torrado, envolvente, complexo e fresco. Na boca surpreende a leveza e textura fina da bolha e da forma como, pé ante pé, se mostra elegante, ao mesmo tempo mostrando alguns pontos de cremosidade, corpo e untuosidade, envolvente e cheio de volúpia.
Este foi a edição Balloon Venus de Jeff Koons. Embalagem luxuosa para um champanhe de luxo.

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Planalto Reserva 2016 Branco

PLANALTO RESERVA 2016 BRANCO | DOURO | 12,5% | PVP  4,99€
VIOSINHO, MALVASIA FINA, GOUVEIO, ARINTO, CÓDEGA, RABIGATO, MOSCATEL
SOGRAPE VINHOS, SA
16

A colheita 2016 acaba de chegar ao mercado com uma nova imagem, mais condizente com a Casa e mais próxima da histórica linha gráfica da restante gama Casa da Ferreirinha. No restante, temos a mesma receita vencedora a que nos habituou. Perfil fresco, leve, de acidez bem vincada e secura no ponto.
Cor de amarelos citrinos, nunances esverdeadas, aspecto jovem e brilhante. No nariz a fruta de polpa branca assume algum destaque, bem ladeado pelas notas tropicais, citrinas e florais do conjunto fresco. Na boca mostra acidez vivaz, perfil seco, com algum volume, leveza, com a fruta fresca mais uma vez em bom plano e com um final de boca longo e elegante.
Um blockbuster.

Vinho Ao Vivo 2017 | Festival do Terroir

O Vinho ao Vivo é mais um daqueles eventos onde o vinho é Rei, tem o caractér de obrigatório para qualquer enófilo e não poderia passar sem um anúncio de destaque aqui no Comer, Beber e Lazer.
O Vinho ao Vivo é um encontro de 35 produtores de vinho europeus em Lisboa que vêm dar a descobrir ao público os seus vinhos de carácter. Ocorre ao ar livre à beira do Tejo, na esplanada À Margem em Belém, num quadro sublime da cidade de Lisboa, com gastronomia e música ao vivo a acompanhar.
Uma selecção muito especial de produtores independentes que trabalham os seus vinhos com respeito pelo local de origem, pela cultura, tradição e paisagem locais. Vinhos sem artificialidade, feitos de forma mais artesanal, com identidade, talento e ética.
O objectivo do evento é promover uma cultura do vinho enquanto património humano e natural, com actores que interpretam uma paisagem a partir de um conhecimento que se constrói de geração em geração.
O Vinho ao Vivo sai de um modelo nacionalista e de marcas, numa perspectiva humanista e de intercâmbio de culturas e experiências. Estabelece um diálogo entre amadores e produtores de vários países da Europa, o velho continente onde o Vinho é um símbolo VIVO e intrínseco da sua história.
A primeira edição do Vinho ao Vivo foi em 2010. Este ano, teremos a 8ªedição de um Festival que já tomou uma dimensão internacional.
Durante 2 dias, 35 produtores europeus vêm até Lisboa para dar a conhecer ao público os seus vinhos de carácter, numa celebração única em prol da diversidade. 

_____________________________________
VINHO AO VIVO 2017
Esplanada do À Margem, Belém, Doca do Bom Sucesso, Lisboa

Contactos
Sílvia Mourão Bastos: (+) 351 96 888 15 30
Nadir Bensmail: (+) 351 96 20 22 24 2
vinhoaovivo@gmail.com
www.vinhoaovivo.com
FACEBOOK : vinhoaovivo

Pode adquirir bilhetes à entrada do evento ou desde já na bilheteira on-line através do link:
https://goliardos.bol.pt/

Pode igualmente comprar na Esplanada A Margem (Belém, Doca do Bom Sucesso) e na Garagem dos Goliardos (Campolide, R. General Taborda 91, Quintas e Sextas das 17h00 às 20h00)

Bilhete Passe de 1 dia (pode ser utilizado em qualquer um dos dias): 25€
Bilhete Passe de 2 dias: 40€

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Wine2O | Juntos por Pedrógão

A Wine2O está a organizar 2 jantares e um almoço vínico solidário para com as vítimas da tragédia de Pedrogão Grande. Ser solidário é uma característica inata do povo português e o mundo vínico não poderia ficar indiferente ao sofrimento de pessoas que perderam tudo, muitas delas até familiares. 
Com o apoio de inúmeros produtores vínicos portugueses, a Wine2O resolveu pôr mãos à obra e em poucos dias conseguiu montar toda uma estrutura que fará com que o dinheiro arrecadado desses jantares, e de um leilão de vinho a acontecer no final do mesmo, seja depositado directamente numa conta solidária criada pela Caixa Geral de Depósitos, conta essa que é do domínio público. 
O primeiro evento será um almoço no dia 4 de Julho em Vilamoura, no Restaurante EMO do Hotel Anantara Vilamoura, o segundo será um jantar no dia 5 de Julho no Porto, na Brasão Cervejaria Coliseu e o terceiro será um jantar no dia 6 de Julho em Lisboa, no Restaurante Horizonte do Hotel Tryp da Costa da Caparica
Eis os produtores associados até ao momento: 
-Niepoort Vinhos 
-Jorge Moreira Vinhos 
-Luís Seabra Vinhos 
-Casa da Passarella 
-Quinta das Bágeiras 
-Casa de Saima 
-Quinta da Covela 
-Júlia Kemper Vinhos 
-Quinta de Santiago 
-R4 Douro Family 
-Portugal Boutique Winery 
-Pormenor Vinhos 
-Caves São João 
-Quinta de Soalheiro 
-Quinta Maria Izabel 
-Maçanita Vinhos 
-Quinta dos Plátanos 
-Joaquim Arnaud Vinhos 
-Pessoa Wines 
-António Saramago Vinhos 
-Herdade do Arrepiado Velho 
-Herdade Fonte Paredes 
-Herdade da Maroteira 
-Quinta do Pinto 
-João M. Barbosa Vinhos 
-Herdade do Portocarro 
-Quinta da Alorna 
-Quinta de Pancas 
-Herdade do Esporão 
-Herdade do Mouchão 
-Herdade da Malhadinha Nova 
-Quinta João Clara 
-Quinta do Convento do Paraíso 
-Lavradores de Feitoria 
-Márcio Lopes Winemaker 
-Quinta do Pôpa 
-Hugo Mendes Vinhos 
-Quinta das Carrafouchas 
-Casa Agrícola Horácio Simões 
-Vale dos Ares 
-Caves Messias 
-Herdade de Coelheiros 
-Dona Maria Vinhos 

Estarão também presentes vários sommeliers de serviço em cada jantar, vindos de alguns dos mais prestigiados restaurantes de Portugal. 

Os bilhetes de participação no jantar vão ter o preço fixo de 35€(em Lisboa e no Porto) e 50€(em Vilamoura), e estarão à venda através da plataforma Last2Ticket pelo link: https://www2.last2ticket.com/pt/events/398/sessions/7129/juntos-por-pedrógão-jantar-vínico-caparica 
No momento da compra esse dinheiro entrará directamente na seguinte conta solidária do CGD: IBAN- PT50 003500010010000033042 

Terão de mostrar o bilhete à entrada do restaurante como prova de pagamento do jantar. 
Para informação adicional por favor envie um email para: wine2o.pt@gmail.com 

Apareçam!

Foto: DR

terça-feira, 27 de junho de 2017

Ramos Pinto Quinta do Bom Retiro 2014 Vintage

RAMOS PINTO QUINTA DO BOM RETIRO 2014 VINTAGE | PORTO | 19,5% | PVP  78€
TOURIGA NACIONAL, VINHAS VELHAS, TINTA BARROCA, SOUSÃO
ADRIANO RAMOS PINTO
18,5

Um single quinta vintage, respeitado os princípios de um Porto Vintage, proveniente de uma quinta de terroir bastante quente e seco, que se mostra num excelente momento de forma e que deixa antever uma longa vida por bastantes mais anos.
Se consumir já sirva-o à sobremesa com chocolate negro, bastante percentagem de cacau ou, se quiser sair da zona de conforto, baixe-lhe um pouco a temperatura e sirva-o com uma Posta à Mirandesa e feche os olhos enquanto harmoniza este banquete.
Cor ainda de rubi fechado e muito concentrado, opaco e de aspecto limpo. No nariz releva intensidade da fruta preta silvestre bem madura, compotada, quente, fruta preta de árvore, ameixa e cereja preta, com notas florais de violeta, especiaria, pimenta preta, muita frescura e elegância.
Na boca cerca-nos com alguma opulência, sedução dos taninos, macios, sedosos, que nos agarram por completo, mostrando, novamente, toda a fruta madura, amora, ameixa, cereja, numa equilibrada disputa com alguma notas especiadas e torrefação. Final de boca longo e sempre em crescendo.

domingo, 25 de junho de 2017

Redoma Reserva 2013 Branco

REDOMA RESERVA 2013 BRANCO | DOURO | 12,5% | PVP  27€
RABIGATO, CÓDEGA DO LARINHO, DONZELINHO, ARINTO, OUTRAS (VINHA VELHA)
NIEPOORT VINHOS, SA
17,5

As vinhas velhas do Douro de altitude a mostrarem um branco que não precisa de apresentações, mas que cada vez mais confirma a minha ideia de necessitar de tempo em garrafa, mesmo sendo lançado alguns anos após a colheita. Com cerca de três anos em garrafa, mostrou muito bem o poder da vinha velha das casta brancas do douro, revelando um excelente equilíbrio, leveza e potencial de envelhecimento com qualidade enorme.
Visualmente continua a mostrar cor citrina, leves esverdeados, aspecto limpo e jovem. Intenso e complexo de nariz, fruta de polpa amarela de caroço, percepção de flores, notas de barrica a caminho da integração completa, alguma fruta seca e traço mineral vincado. Na boca mostra um branco com volume, com cremosidade ao toque, leve untuosidade, com a acidez da fruta citrina e do perfil mineral a conferirem equilíbrio, leveza e elegância. Longo de final de boca.
Um branco claramente para não ficar sozinho à mesa, a pedir comida à séria e a dizer que continuará em progressão durante mais uns anos.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Barca Velha 2004 Tinto

BARCA VELHA 2004 TINTO | DOURO | 13,5% | PVP  450€
TOURIGA NACIONAL, TOURIGA FRANCA, TINTA RORIZ, TINTO CÃO
SOGRAPE VINHOS
19

Aberta a garrafa cerca de uma hora antes de ir para a mesa foi, de facto, com alguma expectativa que provei este ícone dos vinhos nacionais.
Este 2004 foi o primeiro a ser vinificado na Quinta da Leda, sendo que desde 1980 as uvas para a composição do mesmo tenham já a sua proveniência nesta Quinta. O resultado é um vinho de uma extraordinária complexidade, quer a nível aromático quer da sua expressão na boca, mostrando grande elegância e ao mesmo tempo uma volúpia sedutora que nos agarra desde o inicio até ao fim.
Cor rubi, intenso, concentrado e de aspecto limpo. Aromaticamente mostrando uma fruta preta madura muito bonita, amoras silvestres, ameixa preta, cereja, algum cassis, com notas florais muito elegantes, terrosos frescos, turfa húmida e com a barrica completamente envolvida dando-lhe notas especiadas finas e continuando num perfil complexo e fresco.
Volumoso de boca, acidez acutilante, mostrando vivacidade, de toque macio e cremoso, com taninos presentes, polidos, redondos e com a fruta ainda fresca e em equilíbrio com os especiados muito finos que vão aparecendo na continuidade da prova. Final de boca extenso e a deixar a sensação que, provavelmente, a abrimos cedo demais pois ainda está em curva ascendente.
Para beber ou para guardar durante mais alguns valentes anos.

terça-feira, 20 de junho de 2017

Adegga WineMarket Summer 2017

O Adegga WineMarket Summer regressa já no próximo dia 1 de Julho a Lisboa. Com o objectivo de continuar a ser um evento de vinhos de qualidade e que prime pela diferença e inovação o Adegga WineMarket Summer conta com 60 produtores seleccionadas pela equipa do Adegga com 500 vinhos em prova que poderá adquirir facilmente a preços de evento.
__________________________________________
ADEGGA WINEMARKET SUMMER 2017
SÁBADO | 1 DE JULHO | 14:00H ÁS 21:00h
LISBON MARRIOTT HOTEL, LISBOA

domingo, 18 de junho de 2017

96 Anos de História Caves São João 1983 Branco

96 ANOS DE HISTÓRIA CAVES DE SÃO JOÃO 1983 BRANCO | BAIRRADA | 13,5% | PVP  60€
CHARDONNAY
CAVES DE SÃO JOÃO - SOCIEDADE DOS VINHOS IRMÃOS UNIDOS, LDA
16,5

As Caves de São João continuam em modo de celebração rumo ao seu centerário que terá o seu ponto maior no ano 2020. Recentemente foi lançado este vinho, em mais um marco nesta caminhada para o centésimo aniversário, assinalando a emblemática decada de 80 e a implementação daquilo que condicionaria todo o nosso futuro, ou seja, a world wide web.
 O vinho escolhido para assinalar os 96 anos de história foi um branco de 1983, produzido apenas da casta chardonnay de vinhas sitas na região da Bairrada. 527 garrafas que mostram, mais uma vez, o potencial de envelhicimentos dos brancos desta região e atestam da qualidade e riqueza existente nas Caves de São João a este nível.
De cor amarelo dourado, reluzente e intenso. No nariz a magia dos aromas mais evoluídos, fruta seca, alguma cera, sensação de algum melaço, especiaria fina, com grande complexidade e frescura envolvente. Expressivo de boca, a mostrar-se com grande energia e vivacidade, cheio, maduro e com um certa untuosidade, cremosidade que cativa o palato, ladeado por acidez fina e longo de comprimento de boca.

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Herdade do Perdigão | A Passagem dos Anos em Brancos e Tintos

Em passeio pela Serra de São Mamede, andámos à descoberta de produtores de vinho que imprimam este terroir alentejano diferente do habitual mais quente e de intermináveis planícies. A Herdade do Perdigão estava no nosso mapa e fomos até lá conhecer um pouco melhor os seus vinhos.
Situada no concelho de Monforte, na encosta da Serra de São Mamede, a Herdade do Perdigão conta cerca de 45 hectáres de vinha e desfruta de um micro-clima particular que lhe permite fazer nascer brancos, tintos e espumantes com grande frescura.

VILLA ROMANU 2016 BRANCO | ALENTEJO| 13% | PVP 3,49€
ANTÃO VAZ, ARINTO, VERDELHO
HERDADE DO PERDIGÃO - EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA E VINÍCOLA, LDA
14,5
Cor amarelo citrino, esverdeados nítidos, aspecto limpo e jovem. Nariz com boa intensidade aromática, notas citrinas, lima, ligeiro vegetal, traça mineral e fresco. Na boca mostra vivacidade, sumarento, equilibrado, boa acidez e fruta citrina bem colocada. Final de boca médio-longo.

HERDADE DO PERDIGÃO RESERVA 2010 BRANCO | ALENTEJO | 14% | PVP 12€
ANTÃO VAZ
HERDADE DO PERDIGÃO - EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA E VINÍCOLA, LDA
16,5
Cor amarelo definido, nuances palha seca, aspecto limpo e brilhante. Aromas intensos, fruta citrina, tropical e de polpa amarela madura, mais gordo, notas de barrica já ligadas, traço fresco e elegante. Expressivo de boca, vivaz, acidez equilibrada, sequinho, com fruta muito bem composta, final de boca longo.

HERDADE DO PERDIGÃO RESERVA 2011 BRANCO | ALENTEJO | 14% | PVP 12€ 
ANTÃO VAZ 
HERDADE DO PERDIGÃO - EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA E VINÍCOLA, LDA 
16,5 
Cor amarelo citrino, ainda nuances esverdeadas e de aspecto jovem. Elegante de nariz, boa intensidade da fruta, citrina, de caroço com notas fresca de aromáticas. Um Antão Vaz a sair da regra. Na boca está em plena forma, acidez acutilante, seco, seco, tensão, vivaz e jovem, envolvente e com um final de boca que dura e dura. 

HERDADE DO PERDIGÃO RESERVA 2015 BRANCO | ALENTEJO | 13% | PVP 12€ 
ANTÃO VAZ 
HERDADE DO PERDIGÃO - EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA E VINÍCOLA, LDA 
16 
Cor amarelo citrino, nuances esverdeadas, aspecto límpido e jovem. Aromas intensos, fruta de caroço, polpa branca madura, fresco, alguns refrescos aromáticos, algum verde e fundo fresco. Boca com volume, macio, com grande acidez e perfil seco, fruta bem colocada e fresca, final de boca longo e persistente. 

VILLA ROMANU 2016 TINTO | ALENTEJO| 14% | PVP 3,49€ 
ARAGONÊS, TRINCADEIRA, CABERNET SAUVIGNON 
HERDADE DO PERDIGÃO - EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA E VINÍCOLA, LDA 
14,5
Cor rubi de nuances violáceas, média concentração, aspecto limpo. No nariz predominância para a fruta vermelha madura, leve traço vegetal, definido, directo e fresco. Na boca mostra textura, tanino presente, polido, fruta vermelha fresca, equilibrado e de final médio-longo. Boa opção para o dia a dia.

HERDADE DO PERDIGÃO RESERVA 1999 TINTO | ALENTEJO | 13% | PVP 14€ 
TRINCADEIRA, ARAGONEZ, CABERNET SAUVIGNON 
HERDADE DO PERDIGÃO - EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA E VINÍCOLA, LDA 
17
Cor vermelho com nuances alaranjadas, mais intenso no núcleo, aspecto limpo. Nariz com fruta vermelha muito elegante, com notas se café, toffee, tostado leve, balsâmico e fresco, complexo. Grande boca. Com volume e estrutura, elegante e fresco, no ponto, que grande evolução, longo e envolvente. 

HERDADE DO PERDIGÃO RESERVA 2004 TINTO | ALENTEJO | 15% | PVP 14€ 
TRINCADEIRA, ARAGONEZ, CABERNET SAUVIGNON
HERDADE DO PERDIGÃO - EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA E VINÍCOLA, LDA
17
Cor granada, concentrado média, aspecto limpo. Nariz com fruta preta madura, elegante e fresca, toffe, café moido, balsâmico, fresco. Vivaz, grande acidez, volumoso, boca larga, tanino polido, pronto a beber e adar prazer. Final de bica longo. 

HERDADE DO PERDIGÃO RESERVA 2005 TINTO | ALENTEJO | 14,5% | PVP 14€ 
TRINCADEIRA, ARAGONEZ, CABERNET SAUVIGNON
HERDADE DO PERDIGÃO - EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA E VINÍCOLA, LDA 
17
Cor rubi, ligeiro granada, aspecto limpo. No nariz, bom conjunto com as notas de fruta vermelha e preta, mais leveza e frescura, com ligeiros mentolados e motivos de ordem vegetal. Boca larga, vivaz, muito intenso, acidez acutilante, seco, a fazer salivar e a procurar comida. Final de boca longo e prazeiroso. 

HERDADE DO PERDIGÃO RESERVA 2011 TINTO | ALENTEJO | 15% | PVP 14€ 
TRINCADEIRA, ARAGONEZ, CABERNET SAUVIGNON
HERDADE DO PERDIGÃO - EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA E VINÍCOLA, LDA 
16,5
Cor rubi, concentrado, intenso, aspecto limpo. Aromaticamente intenso, notas de fruta vermelha e preta madura, cereja, ameixa preta, balsamico e fresco. Boca segura, corpulento e muito vivo, fruta em bom plano, com tanino polido, mais gordo e um pouco mais quente que colheitas anteriores já provadas. Final de boca longo e persistente.. 

HERDADE DO PERDIGÃO RESERVA 2014 TINTO | ALENTEJO | 14% | PVP 12€ 
TRINCADEIRA, ARAGONEZ, CABERNET SAUVIGNON
HERDADE DO PERDIGÃO - EXPLORAÇÃO AGRÍCOLA E VINÍCOLA, LDA
16,5
Cor rubi, notas violetas escuras, média concentração, aspecto limpo. Aromaticamente posso dizer que é o mais "concensual", com a fruta bem definada, um floral perfumado e integrado e com notas de barrica e tosta ainda a sobressair. Na boca surge bastante vivaz, juventude ao de cima, encorpado, gordo e com bom equilíbrio. Final longo. Está pronto a beber.


terça-feira, 13 de junho de 2017

Adega de Pegões Grande Reserva 2013 Tinto

ADEGA DE PEGÕES GRANDE RESERVA 2013 TINTO | PENÍNSULA DE SETÚBAL | 14,5% | PVP  16€
SYRAH, TOURIGA NACIONAL, ARAGONEZ, ALICANTE BOUSCHET
COOPERATIVA AGRÍCOLA DE SANTO ISIDRO DE PEGÕES, CRL
17

O primeiro grande reserva da Adega Cooperativa de Pegões chega como resultado de uma vindima extraordinária e apenas será elaborado em anos excecionais como este de 2013. Antes de ser lançado no mercado descansou por 12 meses em barricas de carvalho francês seguido de um longo sono de 24 meses em garrafa.
Agora cá fora, confesso que me agradou bastante, mostrando estar ainda no início da caminhada de um belo vinho.
Cor vermelho intenso, concentrado, fechado, bordo violeta escuro bonito, aspecto limpo. Aromas intensos, fruta preta e vermelha, algum citrino, bergamota, barrica já ligada, cacau, fresco, surpreendentemente fresco. Boca firme, segura, com acidez acutilante, alguma secura e muito vivaz, robusto, largo, com final de boca longo.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails